domingo, 2 de setembro de 2018

Sofia, a lindamadafofa da titia - Parte III


Sofia adora andar de carro!
A adoção. Parte final.

Eu morava no centro de Floripa e perto de casa, fazia uma aula 2 vezes na semana. Na saída de uma dessas aulas, em 2017, encontrei uma moça com um cão igual ao meu Nemo, que tinha virado estrelinha em março daquele mesmo ano.
Dar de cara com um sósia do Nemo me deu um baque. Ela notou minha surpresa, daí falei: 

- Por favor, não repare, é que ver você com um cão igualzinho ao meu que morreu, me deixou emocionada (já chorando, que vergonha) 
E ela: - imagina, tive uma que faleceu ano passado e que ainda me faz falta. Sei bem como é. 
Começamos a falar sobre nossos anjos. 
Normal, quem tem animais sabe disso. 
Daí peguei o celular e mostrei a foto do Nemo. Ela viu que eram idênticos. Tão idênticos que me dava um desconforto olhar...
Ela, por sua vez, me mostrou a foto da cadelinha dela, também já emocionada. Falar de um cão que partiu é complicado. Até hoje não gosto de lembrar da perda e sinto uma saudade imensa do Nemo. Até dói, mas voltando...
Ao ver a foto da cadelinha dela eu exclamei. 
- Nossa, você está com o meu cão e eu estou com a sua. E mostrei a foto da Sofia.
Ela teve a mesma reação de surpresa que eu tive. Daí eu falei  - ela está comigo, mas está para adoção ainda pois é muito grudada e tem certo pânico de abandonos, ou seja, PRECISA sempre que fique alguém com ela etc etc  
Com o novo aumiguinho



Com algumas perguntas básicas percebi que Sofia ficaria super bem com eles, além do que, teria a mesma médica veterinária dos meus e continuaria pertinho de mim. O cão igual ao Nemo era da filha dela, que também mora na mesma quadra. Uma família com bastante gente, tudo que Sofia precisava, pelo pânico de ficar sozinha.
Eu saio muito de casa e ela nunca ficava bem com isso. Outra coisa, gosta de dormir na cama e eles deixam e eu, se deixar, fico sem lugar.
Enfim, era a família que ela precisava e eu poderia ajudar outros, como fiz, pegando as duas bebês que estão aqui comigo, SRD.
Na hora trocamos os fones e a noite eles foram ao meu apto conhecer a Sofia. Vera levou seu marido para ve-la, pois eles não queriam mais nenhum, pela dor da perda. Sei bem como funciona, dói, mas ao verem a
Ainda no apto.
Sofia, se apaixonaram. E ela por eles. Tão tranquilo. Adoção boa é quando a gente entrega um cão e sai com a alma leve, como eu falo. Se ficar um aperto no peito, não entregue!

Eu ouço minha intuição.  
COISA DOS CÉUS!
E assim, apesar dela ter ficado 8 meses comigo e sem pressa de doar, creio que fiz bem.
Tô em paz e a Vera me manda sempre fotos dela. Tá linda. 
Era isso. Sofia foi, mas está bem 💝
Isso que importa. O recado mais lindo que eu recebi no Natal foi da Vera, me agradecendo pela Sofia. 
A saudade do Nemo permanece igual 💙
No dia da adoção.

Pergunta pra quem conheceu o Nemo - não são iguais?