quarta-feira, 18 de outubro de 2017

PULGAS podem matar seu cão! Ainda sobre as bebês.














Voltando a falar das bebês, o quanto me surpreendeu a quantidade e o tamanho das pulgas que elas tinham, e olha que já cuidei de muitos cães! Só um ganhou delas em infestação, um shit-zu lotadinho de carrapatos, que resgatei em 2011.
É um absurdo e uma maldade sem tamanho, deixar filhotes morrerem devorados por pulgas, carrapatos e vermes! Pecado é pouco!
Claro que elas não estavam bem e que o cocô estava com sangue, o que sempre assusta os leigos, como eu. A gente logo pensa em giárdia e cinomose, mas não!
Pulgas também causam isso, e assim que dei o vermífugo, saíram muitos, muitos vermes. 
Pensem na dor e desconforto que pulgas podem causar.
E podem matar 😓😞. Leiam o texto abaixo, elaborado pela médica veterinária 
Silvia C. Parisi, que sempre compartilha seu conhecimento, pelo bem dos anjos com asas nas orelhas. É bom alertar as pessoas sobre tudo isso!


Doenças causadas pelas pulgas
Texto abaixo, copiado do site web animal, foto Camila Petry
Muitos proprietários desconhecem que a infestação por pulgas pode causar muito mais do que uma simples coceira nos cães e gatos. As pulgas podem causar danos diretos ou indiretos à saúde do animal. É bem verdade que no verão o problema aumenta, pois a pulga encontra condições muito favoráveis à sua reprodução, ou seja, calor e umidade. Mas é importantíssimo combatê-las, não só nos meses quentes, mas durante o ano todo.
A seguir, algumas doenças que seu animal pode apresentar quando infestado por pulgas:

Verminoses: a pulga pode transmitir vermes a cães ou gatos. O mais comum é o Dipylidium caninum, que causa diarréia com muco e sangue. Os vermes
têm aspecto de grãos de arroz quando encontrados mortos nas fezes ou pêlos, próximos à região do ânus do animal. Em grandes quantidades, o verme pode causar ataques convulsivos, uma vez que secreta uma toxina que age sobre o sistema nervoso. Todo animal que teve uma infestação por pulgas deve ser vermifugado.
Anemia: a pulga se alimenta de sangue. Assim, se o animal tiver uma grande infestação por um tempo prolongado, ele poderá apresentar um quadro anêmico. Animais jovens ou idosos são mais susceptíveis. A anemia tornará o cão letárgico e inapetente. De nada adianta tratar a anemia se o animal continuar infestado pelas pulgas.
Dermatite alérgica à picada de pulgas: é uma das alergias mais comuns nos cães e gatos. É um problema que pode ser transmitido dos pais para os descendentes. A saliva da pulga causa uma forte reação alérgica no animal, desencadeando um prurido (coceira) muito intenso. Queda de pêlos, feridas, descamação e mau cheiro são sinais clínicos freqüentes. Pode se desenvolver uma infecção na pele (piodermite). O tratamento é feito com antialérgicos, antibióticos (em muitos casos) e cicatrizantes. Como em qualquer outra alergia, não existe cura, apenas o controle. Os animais que desenvolvem a dermatite alérgica apresentam os sinais mesmo com pequenas infestações por pulgas. Assim, o combate ao parasita tem que ser intenso e é o único meio de se controlar a doença.
Estresse: os animais podem ficar estressados mais irritados, e às vezes agressivos, quando infestados por pulgas. A coceira intensa pode fazer com que o animal pare de se alimentar e perca peso. Animais cardíacos ou com alterações na coluna (calcificações ou "bico de papagaio") podem ter o problema agravado pelo esforço constante em se coçar, chegando a ficar exaustos e ofegantes.
Transmissão de vírus: acredita-se que as pulgas possam transmitir vírus de um animal doente para outro sadio. Dependendo da carga (quantidade) de vírus que a pulga "carregue" e a capacidade infectante dos mesmos, o animal poderá desenvolver a virose.
Assim, você já percebeu que há motivos de sobra para combatermos as pulgas, que não só irritam o animal, como podem causar danos a saúde dos nossos amigões.
Silvia C. Parisi médica veterinária - (CRMV SP 5532)