terça-feira, 27 de junho de 2017

Nosso dia de cão (ou adote o FRED?)



Segunda feira  foi toda dedicada aos peludos!
O Fred foi tomar banho pra ficar gato e cheiroso e fomos ajudar uma protetora em consulta e exames necessários, para dois cães dela.
Fred-lindo foi resgatado pela gente em 2008 e está até hoje à procura de uma família porque, apesar do tamanho, ele fica deprimido sem outra companhia canina e também gosta de fugir para passear. Esses detalhes dificultam a adoção, pois obviamente não vamos doar um cachorro para ficar triste ou fugir e acabar novamente nas ruas. Sua família tem que ter outro cão pra ele brincar e espaço fechado, pra que ele não pense em fugir, com muito carinho, né?  Apesar de estar na hospedagem há oito anos, ainda temos esperança na adoção do Fred, porque ele é simplesmente maravilhoso! Em 2015, Fred salvou a Belinha, uma cachorrinha lhasa apso que estava sendo atacada por uma rottweiler. A rottweiler com a Belinha na boca e o Fred nem pensou duas vezes, se jogou contra ela, salvando a Belinha! Um cão herói! Se não fosse a coragem do Fred, com certeza teria acontecido uma desgraça.
Infelizmente, ano passado, Fred perdeu seu companheiro fiel de hospedagem, o Totó, que morreu de câncer. Os dois eram inseparáveis, não se desgrudavam, como está no cartaz (antigo).


Apesar de já ser adulto, ele ainda tem um jeitão de filhote, super alegre, sociável e companheiro. Por isso acreditamos que ele ainda ganhará uma família pra dar muito carinho e amor.
Tudo isso transborda nele!

Todas as histórias do Fred, da sua amizade mais que fiel com o Totó, podem ser lidas aqui, é só colocar o nome dele no campo pesquisar. Não estamos exagerando, ele é mesmo maravilhoso!
Para adotar, em Floripa/SC,  entre em contato pelo whatsapp (48) 999619169 



segunda-feira, 26 de junho de 2017

VOCÊ sabia disso? Abra os olhos e salve vidas!

A gente não tem como ajudar a todos se você ainda for tirar uma cria dos seus.
Você nunca saberá COMO e por ONDE andam seus descendentes!






domingo, 25 de junho de 2017

Cães de Raça abandonados - Poodle (A história de Milla)

Infelizmente, há muitos cães vivendo acorrentados, sem cuidados básicos, em todas as cidades. Seja humano e castre, jamais COMPRE. Não estimule o comércio de vidas! Por causa desse comércio, protetoras têm ga$tado muita grana e resgatado muitos cães de raça (mais frágeis) em situações de maus tratos, ou abandono! Quem tem um SRD normalmente providencia para que não procriem. Quem tem "de raça"  sempre quer lucrar em cima do pobre animal. As cidades estão lotadas de cães em maus tratos ou nas ruas, acreditem! 
CASTRE SEU ANIMAL. VOCÊ NUNCA SABERÁ ONDE ANDAM E/OU COMO VIVEM OS SEUS DESCENDENTES!

MILLA - Diretamente do mural de Adote Um Patudo Floripa






Milla 
nosso amor canino, a cachorra mais linda do mundo  . Ela não está para adoção, mas se sua história fizer com que um coraçãozinho se abra para a adoção de um idoso, nossa intenção valeu a pena.
Milla foi resgatada em 2012 pela polícia e encaminhada à DIBEA/CCZ de Floripa.
Segundo a polícia, ela vivia acorrentada numa corrente super pequena, sem abrigo, sem água e sem comida.
Na época, estimamos que sua idade fosse de uns 15 anos, mas acredito que estávamos errados. Ela era apenas maltratada mesmo. Envelheceu pelo sol, pela desnutrição, pelo medo, pelo sofrimento..
Estava bem ruizinha, e certamente não sobreviveria num canil, pois onde há muitos cães, as brigas ocorrem com frequência e os mais velhos são sempre os primeiros a serem mortos.
Pela situação dela, até achamos que ela morreria de qualquer forma. Estava esquelética, cheeeeeia de tumores, com otite crônica, um bafo de fazer defunto levantar e um olhar vazio.
Nosso coraçãozinho mole não permitiu que ela morresse lá, sem amor. Resolvemos que ela morreria na nossa casa.
A resgatamos para dar seus últimos dias de vida com amor e dignidade. Pra nossa surpresa, ela se transformou em outra cachorra! Rejuvenesceu, engordou, brincava, corria.. Merecia um lar! A divulgamos para adoção por 1 ano, mas o preconceito com os vovôs é muito grande. Desistimos e a adotamos.
Ela viveu bem por aproximadamente 2 anos até que começou a definhar e definhar e definhar. Obviamente numa cadelinha cheia de tumores e que passou a vida toda sem o mínimo de cuidados, mesmo sendo tão frágil e pequeninha, seu corpinho cansaria, mas descobrimos que ela é diabética (doença comum em poodles, mas que não tinha apresentado sinais logo após seu resgate). Começamos seu tratamento.
Ficou completamente cega, sua diabetes é super descontrolada (mesmo com aplicação de insulina diária) e há uns 3 anos acompanhamos seu dia a dia com zelo e amor, pra que, no dia que ela decida partir, ela vá bem.
Ela continua com tumores, com otite crônica, com bafo de levantar defunto e solta pum toda vez que faz xixi e que a pegamos no colo. Reclama quando demoramos a levantar. Briga comigo quando vou tirar seu sangue pra medir a glicemia, mas são raras as vezes que reclama quando é seu papai humano quem faz isso. Resmunga quando faz xixi na cama, porque obviamente ela quer uma cobertinha limpinha. Dá uma cambaleada pra levantar. Faz xixi no meio da sala. Faz cocô no meio da sala. Adora sua raçãozinha. Perdeu vários dentes. Às vezes cai ou pisa dentro da bacia de água. Fica irritadíssima quando limpo seu ouvido. Diariamente a observamos de longe e assustados pra ver se ela está respirando. É a cachorra que mais me dá trabalho, apesar de dormir mais de 20h por dia.
Se ela estivesse no meio de 100 cães para adoção, sabe qual eu adotaria? Ela! Simplesmente porque é ela quem mais precisa! Porque seria ela a mais rejeitada. Porque seria ela a invisível a muitos olhos.
O amor não é só buscar preencher o nosso próprio vazio, é nos doarmos pra preenchermos o que o outro precisa. Amor não é só pensar em mim, é pensar no outro. Amor não é querer um cão perfeito pra minha casa, é aceitar o cão com todos os defeitos que ele tem. Amor é aceitar, é transformar, é lutar, é enfrentar as dificuldades, é ir até o fim por mais difícil que seja o caminho.
Tá faltando amor no mundo e também na hora da adoção! Ouvimos exigências tão supérfluas dos adotantes..
Vidas poderiam ser salvas se houvesse mais amor. Há centenas de  vovôs e vovós, nos abrigos e nas ruas,  esperando por amor e pela sua aceitação. Ajudem a transform
ar suas vidas?

















 Outro caso, abaixo




sexta-feira, 23 de junho de 2017

7 COISAS QUE VOCÊ JAMAIS DEVERIA FAZER COM SEU CACHORRO!


7 COISAS QUE PROVAVELMENTE você ESTÁ FAZENDO com seu cão e não deveria!

Você deve se preocupar e educar seu bichano, mas talvez esteja tomando algumas atitudes erradas.
Como as crianças, os cachorros não vêm com manual de instruções, então tudo o que temos é o bom senso.
Infelizmente, é comum ver um cão sendo incentivado a fazer coisas erradas, como comer chocolate ou dar saltos enormes – ambos são péssimos à saúde.
Também não são raras as cenas de cachorros sendo repreendidos por coisas que eles mesmos não estão entendendo.
Pensando nisso, resolvemos dar algumas dicas que podem ajudar na criação:
1. Tire a coleira quando chegar em casa
 Pode parecer besteira, mas a coleira pode enganchar em alguma coisa dentro de casa, além de  evitar que seu bichinho relaxe e se sinta livre.
2. Evite deixá-lo preso perto de outros cachorros que estão soltos
Acredite se quiser, mas os cães, principalmente os filhotes, têm comportamentos bem parecidos com o das crianças.
Portanto, se ele veem os outros cachorros livres no parque, mas está preso na coleira, vai se sentir muito triste e depressivo, tornando-se até mal educado.
3. Não o repreenda quando ele fizer algo errado em sua ausência.
Você quer que seu amiguinho tenha respeito e não medo, certo?
Então não adianta reclamar ou bater nele depois de uma bagunça, se você não estava no momento do “crime”, pois o cachorro nem vai lembrar o que fez de errado.
4. Não cause traumas no seu cachorro
Há pais que batem nos filhos de forma descontrolada ou batem em partes sensíveis do corpo – com o cachorro pode acontecer igual.
Fuja disso!
O nariz do seu cão é muito sensível e, se você bater nessa região, vai causar muitas sequelas, como ansiedade e medo.
Quando ele fizer a coisa certa, recompense-o.
5. Não deixe que ele coma qualquer coisa
A dieta do seu bichinho deve passar longe dos doces, cogumelos, abacate, nozes e alguns outros alimentos que talvez não faça mal aos outros cachorros, mas podem causar alergia ao seu – considere tudo isso.
Uma dieta saudável prolonga a vida do seu animal, você é ciente disso?
6. Incentive-o a fazer exercícios
Funciona com eles, como funciona com as pessoas.
Leve-o para passear, brinque com ele, fala uma série de atividades diferentes e, é claro, dê o devido tempo de descanso.
7. Leve-o ao veterinário com regularidade
Algumas famílias passam a vida toda sem levar o cachorro ao veterinário, o que é um erro grave.
É preciso ter as vacinas e exames em dia.
Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.
Fonte AQUI

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Atenção ao dar mamadeira a animais!

O mundo tá cheio de pessoas de bom coração e de boa vontade, mas se não vir aliado a conhecimento, pode prejudicar. Acabei de ver um cartaz, no facebook, que desinforma 😑.  Ao dar de mamar para bebês NÃO humanos, JAMAIS vire o animal de cabeça para cima.
Pode ser muito "bonitinho", mas não é o correto!  Vamos repassar conhecimento e SALVAR vidas? Obrigada.

sábado, 17 de junho de 2017

O triste caso da AMORA e seus 2 irmãos = recado para o casal que os abandonou no sítio de um senhor idoso.

A história da Amora me foi relatada há mais de 1 ano.
Me impressionei  e fiquei de escrever sobre ela, mas o tempo foi passando... 

Hoje Jane e Poliana foram no sítio bater fotos, porque Seu Carlos cada vez vai menos lá (ele não mora lá) e os cães estão - literalmente - se matando. Ninguém pode resgatar pois tá todo mundo com lotação esgotada, em casa ou pagando ho$$pedagens.
Bem, elas voltaram determinadas a doar os pobres cães.
O texto da Poliana, que colo abaixo, é para impulsionar a adoção da Amora. A história dela,  contada pelo seu Carlos, foi a seguinte:
- "
Uma tarde do verão de 2016, um casal apareceu na casa do seu Carlos, e fez aquela chantagem emocional que protetores conhecem bem,  para que ele aceitasse seus cães no sítio, pois precisavam viajar, mas claro, os pegariam na volta. Pediram para ele cuidar  até que...e bla bla bla". Uma triste e mentirosa história. Nunca voltaram! Nem para doar ração! Como a 
 fome ronda esses lugares e eles resolvem na briga, por comida e espaço, alguns dias depois a matilha matou  os 2 maninhos da Amora,  uma cadelinha branca, peludinha e idosa e um machinho pequeno. Assim a Amora viu, quietinha, seus aumiguinhos morrerem, mas ainda não é o fim. Ela ficou, pelo temperamento doce que tem, mas ainda está lá e todos de lá ainda correm riscos de morte, diariamente, pois cada dia que passa, Seu Carlos consegue ir menos no sítio (ele tem mais de 80 anos) e a cada dia tem menos ração, cada dia mais agonia, enfim: AMORA precisa ser adotada, como todos! Foi deste sítio que veio a "minha"  Momosa (clique no nome dela para a história dela), do mutirão de 2015, para quem pago ho$pedagem até hoje e também precisa de adotante.💕
O texto da Poliana,  sobre a AMORA, está abaixo e está lindo. Limites são necessários, pois não somos eternos!
Cartaz das duas para compartilhar, tá? Por favor.
NOTA: não conheço NENHUM local com muitos cães onde não houvesse brigas até a morte de alguns, por mais cuidados que sejam!  😥
 Amora 
Amora já teve uma família. Ou melhor, alguém que ela achava que era sua família, porque o que fizeram com ela e com seus irmãos, NÃO SE FAZ!
Ela foi abandonada em um sítio de um senhor que era acumulador de cães. Ajudamos esse caso no ano retrasado e, ano passado, diminuímos o número de animais de lá, com ajuda de protetores e de adotantes que não ficaram fazendo exigências ridículas e que decidiram salvar uma vida. Infelizmente, os mais assustados e considerados menos bonitos, ninguém quis adotar. Estão sendo cuidados de vez em quando, recebem alimento duas vezes na semana e assim estão vendo o tempo passar...
Cada vez mais tristes, cada vez mais arredios.
Bom, Amora e dois irmãos caninos foram largados nesse local. Como acontece em todo local cheio de cães, os cães da matilha atacaram os novos animais e seus irmãos morreram. Sim, dois cães que tinham um lar e que foram jogados fora, morreram pisoteados, mordidos, com furos nos corpos, com sangue, com pânico. Tiveram um fim de vida trágico por culpa do irresponsável que os largou lá. Felizmente a Amora foi aceita na matilha, mas infelizmente sabemos que, se acontecer alguma briga com ela, ela não vai conseguir se defender.
Ela é extremamente amorosa. Mesmo tendo sido abandonada, não perdeu a fé nos humanos e fica toda feliz quando nos vê. Pede carinho, abana rabinho, nos segue, mas precisa sair de lá o quanto antes. Ela precisa de um lar seguro e de uma família de verdade! De alguém que a considere um membro da família, um amigo fiel, um ser com sentimentos, pois é isso que ela é.
Ela é castrada, é de médio porte, parece uma border collie (um pouco menor e sem o branco na pelagem, mas o mesmo tipo de físico), convive com outros cães e adora pessoas. Apesar dos pelinhos brancos, não é uma cachorrinha velha. Ajudem a fazer com que ela seja adotada antes de perder a fé e a confiança nos humanos?
Para adotá-la, envie whatsapp para 48.991012705