segunda-feira, 12 de setembro de 2016

O cão do vizinho - o que posso fazer?








Quantas vezes nos deparamos com animais em situação de desconforto, achando que está abandonado? Por mais triste que seja, alguns têm tutores. O post hoje não é sobre bons ou maus adotantes, mas contar a história desse anjinho das fotos e divulgar uma maneira de ajudar, que não seja resgatar.
Semana passada f
ui doar uma cadelinha a uns 30 km da minha casa e na volta vejo esse pobre, neste estado que vocês podem ver. Já estava escurecendo, mas parei o carro na hora. Ele e um outro branquinho estavam na calçada. 
Resumindo: Ele não me deixou pegá-lo e percebi que foram para uma casa, um pouco mais acima de onde eu estava. Chamei, bati palmas e ninguém apareceu. Como sempre tenho anti parasitas no carro, tentei dar para ele. Não comeu, mesmo sendo palatável. Coloquei ração e nada. Ou seja, fome não tinha. Como ele corria de mim, lembrei que tenho um amigão  que mora perto e liguei para ele. Ele conhecia os dois. Têm família. Vivem soltos, pois a área é tranquila. Ele veio ao meu encontro e se impressionou com o estado do anjo.
Resumo dois: meu amigo se encarregou de levá-lo para banho e tosa, conversar com a família e dar, no dia seguinte, o anti parasitas que ele não aceitou. A família estava sem condições de levá-lo para tosar (não, não é justificativa pois podem cuidar em casa) e aceitou a oferta do meu amigo. Agora ele ficará de olho.
Mesmo sendo mal cuidados eles são fiéis aos tutores e eu fico impressionada com isso !

A verdade é que está difícil doar BEM um cão, assim, ele continua com sua família mais ou menos, como quer, meu amigo vai observar de perto e todo mundo fica feliz. Ofereça ajuda. Muitas vezes dá certo!
Na volta do seu dia de príncipe ele se rolava, feliz, na grama. Conte com os vizinhos, peça ajuda. Gente boa adora ajudar. Valeu Ito!