segunda-feira, 17 de agosto de 2015

EBA! Luna adotada


      L U N A 
    


 Luna foi a bebê mais amorosa e paciente da ninhada da Pucca. Todos dormiam em volta dela (a Pucca nunca foi maternal) e ela acolhia sempre com carinho os maninhos. Provavelmente ela e Boris tenham o mesmo pai, pois são quase gêmeos na cor e aperencia, embora nada igual no temperamento. Luna é doce e me conquistou desde o primeiro dia. Tive sorte dela ser logo adotada, por intermédio da Jane Maschio, de quem a adotante é amiga. Foi bom prá mim pois eu me apaixonei por essa bebezinha. Foi quem mais ganhou colos e mimos aqui. Como foi adotada rápido, cedeu vaga no meu coração para os demais e, claro, quem fica por ultimo sempre acaba sendo o preferido, pelo tempo de convívio. É duro ter que doar, viu? Mas a certeza de poder ajudar muitos faz tudo valer a pena. No dia que a adotante veio buscá-la, 10 dias depois de conhece-la, caí num choro que não sabia de onde vinha. Fiquei até com vergonha, pelo vexame. Eu a chamava de Molly pois ela amoleceu, de fato, minha alma. Coisa mais linda. Dourada, fofa, quietinha e receptiva com os maninhos. A mocinha da ninhada! Cativante é pouco para descreve-la. Mas com personalidade forte, como todos, inclusive a mãe. Incrível como cada um é de um jeito numa mesma ninhada! Muito diferentes mesmo! Como não se dá banho em filhotes muito pequenos, nas fotos abaixo eu lavei a cabecinha dela para tirar as crostas que veio, da rua, e a aqueci dentro do meu casaco, e ela dormiu...



As fotos abaixo foi no dia que a Cris, sua adotante, veio conhece-la. Duas queridas!
Depois com suas irmãs humanas, que ficaram radiantes com a chegada dela! 
Assim eu também acalmo meu coração, por saber que deixar ir pode  valer a pena. Meu carinho para todas!







Ela também era a maior da ninhada.
Fico com muita peninha quando são adotados sozinhos e instruo os adotantes a deixar um bichinho de pelúcia, ou similar, como companhia na hora de dormir. Eles sentem falta da mãe e maninhos.