terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Estudo prova que cachorros sentem AMOR

E quem não sabia? 


Texto de  LINKANIMAL e fotos de FICACÃOMIGO
Link original: http://www.linkanimal.com.br/cachorros/estudo-prova-que-cachorros-sentem-amor/
Estudos já provam que os cachorros sentem diversas emoções complexas, como ciúmesinveja e até medo de ser substituído.  Apesar dos cientistas ainda estarem iniciando as pesquisas a respeito das emoções que os cachorros são capazes de sentir, nesta semana um estudo conseguiu provar que os cães podem sentir amor da mesma maneira que sentimos.

Os cachorros são muito mais inteligentes do que nós imaginamos

Extremamente inteligentes, donos de uma memória invejável e capazes de interagir socialmente as vezes melhor do que nós, os cachorros têm mostrado que conseguem aprender centenas de palavras como nome de objetos – e até verbos – não somente para agradar seus donos e adestradores, mas também por sentirem a necessidade de expressar sua inteligência.
Em experimentos recentes, estudiosos notaram que cada vez mais nossos pets conseguem deduzir o que está por vir apenas por observarem os seres humanos e o meio ambiente em que estão. A verdade é que os cães, atualmente, estão desenvolvendo uma capacidade de inferência extraordinária, o que pode até mesmo influenciar seu estado de humor e, em certos casos, uma tendência ao pessimismo.
Cachorros amam como nós?
Com o uso de um equipamento de ressonância magnética, neurocientistas realizaram testes a fim de reconhecer a atividade cerebral dos cães todas as vezes que sentiam o cheiro de seus donos e/ ou quando eles entravam na sala em que estavam. Curiosamente, o “campo do amor” acendia sempre que recebiam um destes dois estímulos, porém quando desconhecidos eram colocados no local, nada acontecia.
Com os testes, os pesquisadores perceberam que quando o cão recebe seus proprietários com alegria, ele o faz não somente por querer agradá-los, mas realmente por sentir-se feliz ao tê-los por perto. Nestas situações, inclusive, é comum que os animais liberem ocitocina, substância conhecida como o “hormônio do amor”.