domingo, 24 de agosto de 2014

Parabéns TEQUILA & Clara!!!

Hoje faz 3 anos que foi adotada e eu recebi o lindo email, que colo abaixo, da adotante da lindinha. Obrigada Clara, por tudo. A foto ao lado foi no dia do resgate. A chamei de EMILY. Ela  foi abandonada no Rio Vermelho. A resgatei num dia em que estava saindo da casa da protetora Kátia Carlota. Lembro tão bem... Eu acabava de me recuperar de uma mordida no pé e, como ela se mostrou arisca, voltei na Kátia e pedi que me ajudasse a pega-la. De lá a levei num banho e tosa. A foto foi depois disso. Muito linda e querida. Mas cheia de energia - Perfeita para a Clara! Confiram as fotos!

 Eu sempre me impressiono com a diferença do olhar de um cão bem adotado. 
Eles fazem cada cara de felicidade que encanta qualquer um:
ADOTAR MUDA UM OLHAR! 





"Queridíssima Annita,
Eu não tenho palavras pra resumir o quanto eu agradeço por teres encontrado a minha pequena e confiado a mim a vidinha dela. Tequila é um serzinho muito especial que chegou na hora que mais precisei. Graças ao destino e tua confiança em mim, ela é a minha pequena. Decidi mandar esse e-mail junto às fotos, com um relato que talvez ajude mais pessoas a adotarem um animal. 
O principal motivo de eu querer adotar, foi o falecimento de minha mãe, que tornou minha casa vazia e me desmotivava muito a voltar pra ela. No aniversário do João, quando conheci a saudosa Terra, eu notei o quanto eu sentia falta do convívio com cães. Isso me fez ter certeza do que eu precisava. Então, a vinda da Tete aqui pra casa melhorou demais a energia e, ser recebida toda vez com seus enormes saltos, aquele incansável toco de rabo que, pra balançar precisa rebolar junto, tudo isso faz a volta pra casa ser muito melhor então, quando eu vi, aquele ser bagunceiro e com um certo quê de destruição, já tinha me conquistado. Como em tudo na vida, existem os prós e contras, quando eu planejo uma viagem, não é só na minha hospedagem que eu tenho que pensar, os gastos no mês aumentam, o dia encurta entre passeios, limpezas e tudo o mais, mas nada pode valer mais a pena pra mim do que ter essa companhia. 



A chegada da Tequila mudou muito a minha rotina, principalmente no início. Ela não aceitava muito bem alguns de meus amigos, gostava de destruir coisas e, sobretudo, de mostrar que ela faria o que quisesse. Nosso convívio foi melhorando gradativamente, mas só porque eu não desisti dela, sei que muitas pessoas acabam desistindo de adoções por esse início, vezes até por menos, mas, como eu já li diversas vezes, hoje minha casa é, sim, mais bagunçada do que seria se eu não tivesse cães, mas minha vida vale muito mais por causa delas.No plural, pois alguns meses depois da Tete, veio a Shisha (no sofá), da protetora Kátia Carlota Pimentel. Beijo,  Clara Meirelles"