domingo, 11 de maio de 2014

A história de Blonde (adotada) e bebê Greg





Semana passada recebi as duas fotos abaixo da BLONDE, uma cadelinha adotada em 2010. Fiquei muito, muito feliz. Saber que ela está bem cuidada faz com que tudo valha a pena.  É por eles que a gente "trabalha"; para que tenham uma vida digna e saiam das ruas pois a rua não é lugar para ninguém viver! Como ela foi de um resgate anterior ao Blog, ainda não contei a história dela, como de muitos. Mas a dela, farei agora, abaixo destas 2 fotos atuais. Não tá uma princesinha?

























Aqui as primeiras fotos dela e do Greg, seu companheirinho, ainda na rua. Nessa época eu estava com muitos cães ho$pedados e assim tentei ajuda para o resgate deles. Ajuda que não veio, assim, 2 dias depois, já aflitíssima, fui pegá-los e os trouxe para meu apto mesmo. 


Como GREG era machinho eu nao deveria trazer para cá pois um dos meus cães tem demodécica e não aceita outros machos. Mas não tive escolha,  já que ninguém podia ajudar e, assim,  eles ficaram aqui, na minha sacada.
Greg, magrinho de doer e com a saúde debilitada, precisava mais que ela de resgate e eu não poderia ter trazido um apenas pois ele era filhote e os dois viviam juntos o tempo todo. 





Uma semana depois a protetora Juci Polli se ofereceu para cuidar do bebê GREG na casa dela. Só que, em seguida, o quadro dele ficou muito instável. Ele praticamente não respirava; desenvolveu uma água nos pulmões, infecções etc e Greg acabou virando estrelinha, imaginem se eu não o tivesse resgatado, sem atendimento veterinário, nada? 
Pobre anjinho. Saiu da rua para morrer em menos de 2 meses e muito sofrimento. Até hoje tenho sua plaquinha de identificação, que ele nem chegou a usar.
Blonde, depois que consegui doar uma que estava na ho$pedagem, foi para lá. Depois de 4 meses, sua atual família a adotou. Ela encantou a todos e obviamente fico feliz em saber que ela está linda e amada mas ainda sinto pelo bebê Greg... Abaixo o cartaz dela e a foto com as adotantes, no dia em que a levei. Agradeço as fotos, a dedicação e o carinho. Vê-la dormindo na cama foi tudo pois no começo a família não a deixaria passar para a área dos quartos. Alguns têm muita sorte mesmo!