quarta-feira, 30 de abril de 2014

Falando de AMOR

Quando li o artigo abaixo fiquei muito feliz por estarem veiculando novas descobertas a respeito dos nossos anjos com asas nas orelhas. Por experiência atesto que cães amam sim e não apenas seus "PAIS". Tenho uma cadelinha com altos níveis do hormônio de amor/maternidade, que cuida de todos os bebês que eu trago para a casa. E cuida bem. Ensina, inclusive. Um espetáculo de ver o poder de amar da Serafina. Eles também sentem afeto por outras pessoas que convivem com a gente. Podemos sentir a emoção deles quando encontram um desses "amores". Então, o que está provado é que cães são capazes de amar
Quem não sabia disso, né? 
De qualquer maneira, sempre é bom um estudo que dê força à nossa palavra. ADOREI. 
E afirmo: ESPAÇO não é tudo. Eles querem/preferem estar perto dos seus "pais", sempre!   :)
 Por isso  - também -  inclua-os nas mudanças de sua vida.
É muito triste perder quem se ama...


Foto: Divulgação / MorgueFile

Cães podem realmente amar seus donos

Pesquisadores testaram níveis de oxitocina, o "hormônio do amor", em animais de estimação


Pesquisadores afirmam que anima domésticos realmente amam seus donos. Experimentos descobriram que os animais também liberam oxitocina - o mesmo "hormônio do amor" que em seres humanos cria laços e vínculos nos relacionamentos.
A oxitocina é liberada em nosso organismo em diversas situações sociais e os nossos corpos a produzem em altas concentrações durante interações sociais positivas, como ao se apaixonar, experimentar um orgasmo, realizar um parto e amamentar.
Paul Zak, professor da Claremont Graduate University, na Califórnia, realizou vários testes para medir os níveis do hormônio que eram liberados quando os animais interagiam com outros animais e seres humanos.
A equipe obteve amostras de sangue de um terrier de raça mista doméstica e uma cabra que regularmente brincavam um com o outro.
— O resultado foi muito surpreendente. O cão teve um aumento de 48% no índice do hormônio, o que é considerado alto até para um ser humano— comentou Zak.
Segundo ele, a oxitocina surge para ajudar nas ligações afetivas, e o estudo mostra que os animais domesticados formam ligações e sentem o amor da mesma forma que os humanos. Ele complementou dizendo que apenas os animais que foram domesticados aparentam mostrar essa resposta.
Em um segundo experimento, 100 pessoas coletaram amostras de sangue para estabelecer seus estados fisiológicos basais. Em seguida, os participantes se deslocaram para uma sala privada e brincaram com um cão ou gato por 15 minutos. Logo após, realizaram outra coleta e seus níveis de oxitocina foram medidos.
Durante o processo, os cientistas verificaram que as variações nos seres humanos diferem em cada um, assim como os animais produzem respostas diversas.
O estudo também concluiu que algumas pessoas simplesmente não são "pessoas de animais", e não mostraram nenhum efeito quando lhe foi dado um filhote de cachorro para cuidar. Isso mostra que nem todos os indivíduos são estimulados por animais de estimação.
Link Original: http://diariocatarinense.clicrbs.com.br/sc/noticia/2014/04/caes-podem-realmente-amar-seus-donos-4487406.html

sábado, 26 de abril de 2014

Quando cães ficam sozinhos em casa...

O cão do vídeo não pode subir na cama mas, como eles são eternas crianças, veja o que acontece quando seus tutores saem de casa. 
Eles fazem cada coisa!
Na foto ao lado, uma cadelinha que cuidei e já foi adotada.
Enfim, muito fofo e excelente para alegrar o fim de semana!

Para ver o vídeo acesse o link
este LINK ou veja abaixo

EVENTOS HOJE em Caxias do Sul/RS & Joinville/SC - PARTICIPE!


























 E amanhã, domingo, um encontro



sexta-feira, 25 de abril de 2014

De novo sobre a sexualidade de cães e gatos

Ano após ano tentamos convencer as pessoas a castrarem seus animais por causa da quantidade diéria de abandono que nos deparamos e os pedidos de resgte não cessam...Por que isso? Porque custa a entrar na cabeça das pessoas que eles se reproduzem em escala geométrica....os numeros são assustadores e é verdade: NÃO HÁ LARES PARA TODOS. Além disso ainda existe o machismo: COMO privar meu cachorro de sentir prazer? Então sugiro que leiam este post antigo, escrito por um Doutor de primeiro mundo (talvez assim seja mais relevante, né? )



O cartaz abaixo, da FRADA, de Joinville/SC, está maravilhoso. 
A protetora Maura Vinci, de Floripa, postou no Facebook e já vieram os machões....CONTRA!!!! Olha, ninguém merece ver tanta maldade por causa de "achismos". Ninguém precisa virar protetor e sair resgatando ou castrando os que estão nas ruas mas ao menos castre os seus e não aumente o problema, pode ser? 
Muito obrigada!

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Phoebe - que linda homenagem!

"Em  memória da amada PHOEBE" sua família deixou várias bolinhas de tenis para que as pessoas pudessem levar, brincar com seus cães e lembrar cada momento. Eles deixam registrado que cães são criaturas que conseguem amar incondicionalmente, são leais e transmitem muita felicidade! Proporcione ao seu cão momentos de alegria; eles merecem e vivem tão pouco. Que bom que ela teve um tutor que soube ama-la...sortuda Phoebe!


sexta-feira, 18 de abril de 2014

Um favor pela conscientização!

À vocês que curtem e acompanham o BLOG peço, por gentileza, que compartilhem este cartaz pois hoje o Facebook está imperando em comunicação  e conscientização para a causa animal. Todos os posts do BLOG eu divulgo nesta página, assim, quanto mais gente ler, melhor.

O perfil é ESTE AQUI, adicionem? A página,  ESTA.

Temos também o Twitter AQUI, para seguirem. 

Conto com vocês.Muito obrigada e uma linda sexta feira santa!

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Tão bom seria...


Em Floripa está sendo criado um Conselho de Proteção Animal, graças aos Vereadores, o empenho do AFRÂNIO BOPPRÉ e um grupo de protetores. Acreditam que o Prefeito foi contra? Para mim uma grande decepção mas sempre é bom saber, né? ...

segunda-feira, 14 de abril de 2014

EBA! CANDY adotada e outras coisas...


Candy foi adotada em 22/03 num Evento de Adoção do Instituto É o Bicho. Ontem a visitei e ela estava linda, de bandana do pet shop, potes com água e comida e uma caminha na área de serviço - com travesseiro - a chique! Parei o carro e espiei para dentro do quintal. Ela, alerta, logo veio. Me olhou e foi um ganido só. Sua dona veio ver o chororô e me recebeu muito bem, mesmo eu chegando sem avisar...
Quando entrei foi uma festa. Pecado! Mas ela ficava pulando em mim e na Noemia alternadamente - bom sinal. Depois de uma sessão de carinhos-mata-saudade ela acalmou e, enquanto eu conversava com sua nova tutora, ela foi calmamente se instalar na caminha dela. Demorei para visitá-la por problemas pessoais e estava meio aflita mas, ainda bem, ela está ótima. Com saudades (normal) mas adaptada. Na hora que fui embora ficou em seu cantinho. Mais uma protegida segura e bem, ufa! Candy estaria melhor com uma companhia mas a dona é consciente, pode ser que mais tarde se mude para um apto e não quer dois, a menos quer encontre o Lhasa deles, que fugiu... Cães de raça não castrados são difíceis de serem devolvidos - ESTERILIZE SEMPRE, identifique e evite fugas e furtos!

Eis o primeiro post da Candy  
 clique aqui

Desde a primeira vez que a olhei nos olhos ela me inspirou uma ternura imensa. Cães são como as pessoas; não pense que existem dois iguais. Como humanos, cada um tem seu temperamento, olhar,  carisma, personalidade e uma maneira de se comunicar. Na família temos 5 cães que convivem -mais ou menos- em harmonia e NENHUM é, nem ao menos, parecido com o outro! Assim é com os que a gente resgata;  alguns a gente olha e se apaixona embora de todos a gente cuide. Candy é assim -  Tem uma "candura" no jeito de olhar que a gente se derrete! Difícil conhecê-la e deixá-la ir... nessas horas é que uma hospedagem faz milagres para nosso emocional  porque se ela tivesse vindo para meu apto não sairia - não mesmo! - e estaria instalado o caos porque ela é cheia de energia e por aqui todos têm mais de 5 anos. Já deram uma "acalmada básica" embora brinquem um monte! Aliás, isso eles nunca param pois eles são eternas crianças (leia aqui), daí já viram, né? Gostam de uma festa!
Meu sincero agradecimento à Tania Zink Cunha que foi sua madrinha de ho$pedagem durante os 3 meses que ela ficou na Sônia. 
Desejo a todos MUITAS FELICIDADES!

Candy foi resgatada em setembro último. Até agora, foi meu último resgate e estou com o firme propósito de (tentar) não resgatar mais.  

Não, não saí da causa. Ninguém sai. A pessoa pode diminuir o ritmo, ajudar de outras formas mas jamais vai conseguir fechar os olhos a um animal necessitado, uma vez que eles tenham sido abertos. 


É um caminho sem volta mas há inúmeras maneiras de ajudar e resgatar é, de longe, a mais penosa pois TEMOS que doa-los e isso  dói e nem sempre as pessoas valorizam, se dedicam ou conseguem sentir por eles o mesmo afeto. Mesmo que eles sejam bem adotados sempre ficam as lembranças e um sentimento de traição pois eles também se apegam a nós...é o tal do mal necessário...mas enfim, 2009 e 2010 foram os anos em que eu fazia exatamente como a protetora do cartaz acima. Não faço mais. Daqui para frente espero ajudar de outras formas, a menos que outra CANDY me apareça pela frente...
            

 

sexta-feira, 11 de abril de 2014

A Bruna do Maurício...


Gosto de  histórias felizes! Quando resolvi fazer o BLOG, foi também para ter um lugar onde pudesse contar para as pessoas que é possível ajudar e como fazer também além de ter um registro dos casos dos anjos resgatados. Hoje vi o relato do Maurício Varallo sobre a saudade de uma cadelinha que ele retirou da rua, cuidou por 8 meses, e depois doou. Todos nós temos histórias como essa e nosso coração se multiplica para aguentar tanta saudade, dedicação e carinho. A gente se apega - É inevitável - mas impossível adotar todos... 
Se você quiser contar algum resgate seu e autoriza a publicação no BLOG, mande email com fotos para ficacaomigo@gmail.com
Linda sua Bruna, Maurício! Entendo bem o que você sente.

Por Maurício Varallo




"Essa é a Bruna, uma cachorra que resgatei na entrada da Vila Aparecida, uma favela de Floripa. Na foto, nem aparece tanto sua magreza, mas era só osso. Pelos e ossos. Pelos, aliás, caindo em tufos. Uma infecção intestinal grave, que a fez ficar internada na clínica por dias. Ficou 8 meses comigo até encontrar o adotante certo. Muito certo, a melhor adoção que eu poderia promover. Quando a levei para que ela e o adotante (previamente conhecido e aprovado) se conhecessem, ela saiu cheirando todo o lugar. Depois de uns 20 minutos de conversa minha com o adotante, perguntei à Bruna, que estava uns 20 metros distante: "quer ficar com ele, Bruna?" Sequer apontei o dedo ou olhei para o adotante. Mas ela imediatamente se aproximou dele, oferecendo-se para receber um carinho, num comportamento raro comigo e inédito com um estranho.
Claro que eles não entendem as palavras. Mas alguma coisa eles captam. Hoje me emocionei relembrando dessa história. E bateu uma saudade dela..."



quarta-feira, 9 de abril de 2014

Que soninho...

A adotante da Melody, hoje MEL, consegue umas cenas lindas dessa anjinha que sou obrigada a dividir com vocês! Meus adotantes têm me mandado fotos lindas. Obrigada SEMPRE!!!
Texto e fotos de Tina Laus

 tá dando um soninho...
 muito grande...acho que não vou resistir...
 boa noite!

domingo, 6 de abril de 2014

Vídeozinho de 2007 = NEMO, FIONA e Da Rua...

A história de "DA RUA" ou Rebeca Rebolado


CASO ANTIGO - pré redes sociais -  que merece o registro. Aos poucos vou contando aqui os resgates e histórias dos adotados. Já prometi isso mas nunca sobra tempo...Este é um deles, a história da BEBÊ, como ela hoje é chamada.


Em 2007 vinha eu pela SC 401, sentido jurerê-centro, quando vi uma filhotinha no meio da via, com  carros vindo em alta velocidade. Eu com Nemo e Fiona no carro, os que eu tinha na época. Eram 23 horas. Parei o carro no meio fio e saí, acenando para os carros que passavam, um perigo....o que a gente não faz por amor... Mas não foi suficiente. Senti o inevitável, fechei os olhos e só escutei o estrondo - E lá estava a bebezinha...no chão, no meio do asfalto, sem sentidos. Quando diminuiu a quantidade de carros eu fui pegá-la, achando que estava morta. Quando a peguei,  ela ganiu. Me arrepiei, coloquei-a no chão do carro ao meu lado (meus cães andam no banco de trás) e corri para uma clínica, achando que ela poderia estar morta. Por sorte as rodas não a pegaram. Foi uma batida e ela rolou por debaixo do carro. Assim, depois de 5 dias internada e exames mil,  veio para meu apto e comecei a chamá-la de "Da Rua". Abaixo fotos dela numa feirinha do É o Bicho, quando seus machucados já estavam quase todos cicatrizados, 2 meses depois do atropelamento. 







E  ela foi ficando e eu me apaixonando. Na época não havia tantas ho$pedagens como hoje e eu também não tinha condiçõe$ de hospedar. Abaixo fotos dela com Nemo e Fiona. Até hoje me pergunto porque não a adotei, mas trabalhando o dia todo, dois cães já estava de bom tamanho e eu tinha que manter uma vaga rotatória e, assim, tive que doá-la. Pelo menos a doei MUITO BEM. O "REBOLADO" do nome dela é porque ela se rebolava toda quando via a gente. Vinha sambando, a fofa!


















E as fotos abaixo recebi da sua linda adotante, a Luana Stuart, esta semana.

Depois da minha quarta visita e muito choro de ambas, parei de ve-la. Acho que não fazia bem para ninguém manter o vínculo. Com o tempo a gente vai se acostumando a deixar ir mas com Rebéca não foi fácil. Ela continua com um temperamento calmo e amável, como sempre foi e,  no meu coração, ainda há o lugar dela, intacto e vivo como se eu a tivesse visto hoje sendo atropelada e porque ela era muito especial, impossível de esquecer...Uma coisa é certa: protetores choram um monte. Deve ser por isso também que acabei adotando a Serafina, elas são muito parecidas, tanto que Rebeca pode até ser alguma filha dela, perdida neste mundo tão cruel para com eles...










Obrigada Luana, pelas fotos, pelo amor  e cuidados com ela.