sábado, 23 de novembro de 2013

Golfinhos, porcos etc

Direto da Página do Facebook Vegetarianos AMAM mais, pela relevância da matéria. Em todo o mundo há cientistas interessados na libertação animal que se deparam com as indústrias e os interesses financeiros para "deixar tudo como está" mas mudanças têm que ocorrer, pelo bem do planeta e também dos humanos. Nossa maneira de nos comportar precisa mudar e evoluir. Se os animais falassem, talvez tivessem alguma chance. Falamos por eles. Eles conseguem nos entender. Por que para nós é tão difícil? Todos podemos mudar! Por amor, por respeito, por compaixão!



Cientistas do mundo inteiro já sabem que porcos também se reconhecem em espelhos e que,  na verdade, TODOS os animais são sencientes e conscientes do mundo ao seu redor. DESPERTE!!! Não explore, não mate e não coma animais 
 Cientistas querem classificar os golfinhos como “pessoas não-humanas” por sua grande inteligência e Na índia, Ministro do Ambiente proibiu que os golfinhos fossem mantidos em cativeiro e usados em qualquer espectáculo no país, onde eles já foram declarados como pessoas não-humanas.


Leia 


Os golfinhos são tão inteligentes que devemos encará-los como pessoas não-humanas, é o que reivindica um projeto de lei.

Uma coalizão de cientistas, filósofos e grupos dos direitos dos animais estão declarando, oficialmente, que os golfinhos não podem ser classificados como simples criaturas. Um dos tópicos do projeto é impedir que eles sejam mantidos em cativeiro em parques aquáticos e severas leis contra pescadores que os atacarem.

As chamadas “baleias” assassinas também seriam classificadas da mesma forma, já que elas são golfinhos e não baleias, como boa parte da população pensa.

Outro fator importante é que as baleias também entrariam nesta lista, o que oficialmente transformaria os pescadores baleeiros em assassinos, de acordo com a Associação Americana para o Avanço da Ciência, na conferência anual que ocorreu em Vancouver, Canadá. Grandes empresas como as petrolíferas teriam que ter mais rigor ao explorar uma região com grande fluxo de golfinhos e baleias, buscando respeitá-los.

O filósofo Thomas White comentou: “A evidência científica agora é forte o suficiente para apoiar a alegação de que os golfinhos são como os seres humanos, auto-conhecedores, seres inteligentes, com emoções e personalidades. Assim, os golfinhos devem ser considerados como pessoas não-humanas, sendo valorizados como indivíduos. Do ponto de vista ético, as lesões, mortes e cativeiro é algo errado”.

O projeto de lei afirma que todos os membros da ordem dos cetáceos – baleias, golfinhos e botos – tem o direito à vida. Ele também diz que ninguém tem o direito de possuir uma criatura dessas ou fazer coisas que agridam seus direitos, liberdade e normas.

Quando a comparação é tomada pelo cérebro, os golfinhos possuem o segundo maior cérebro do reino animal comparado com seu peso corporal, ficando atrás apenas dos seres humanos. A conferência provou que os golfinhos são autoconscientes, podendo se reconhecer ao olhar no espelho.

1 – Quando dada a oportunidade, os golfinhos assistem TV e seguem as instruções apresentadas na tela.

2 – Os golfinhos podem ser ensinados a entender as palavras humanas, frases e demandas.

3 – Como os seres humanos, os golfinhos são altruístas e há exemplos que mostram que eles ajudam banhistas que foram atacados por tubarões.

4 – Eles usam linguagem corporal. Pular, saltando fora da água e desembarcando ao lado de outro golfinho, significa “eu quero ir agora!”.

5 – Eles têm sotaques regionais. Um apito dado por um golfinho do País de Gales é completamente diferente de outro que vive na costa da Irlanda.

6 – Eles têm uma forma de diabetes quando adultos, mas eles são capazes de “ligar ou desligar” a doença. Aprender como esse processo funciona poderia ser a chave para a cura em nós humanos.

7 – Os machos atraem as fêmeas apresentando buquês de plantas daninhas, pedaços de madeira e detritos marinhos, como uma forma de cortejar.