domingo, 20 de outubro de 2013

Ainda sobre vivissecção

Desabafo de Ana Rita Hermes sobre vivissecção e veiculações na mídia a respeito da retirada dos animais do Instituto Royal, ontem:



"Alguém conta prá Rede Globo que a vacina Sabin teve um atraso de mais de 10 anos para ser lançada porque era testada em animais? A primeira vacina contra pólio e contra raiva funcionou bem em animais, mas matou as pessoas que receberam a aplicação. Albert Sabin reconhece que o fato de haver realizado pesquisas em macacos Rhesus atrasou, em mais de 10 anos, a descoberta da vacina para a pólio.


Se a indústria farmacêutica está tão preocupada com nosso bem-estar, como é que ainda não conseguiu descobrir a cura para inúmeras doenças? É a indústria da doença e não da cura. Imaginem se a maioria das doenças fossem curadas? Do que essa indústria iria viver?

E alguém diz prá eles que somente 5% dos testes feitos em animais mostram-se eficazes e puderam se tornar medicamentos. E destes 5%, muitos são tirados do mercado depois que a população, isto mesmo, você, eu, nós, que somos as verdadeiras cobaias destes produtos, sofremos os efeitos colaterais graves e até morte. Com certeza já ouviram falar em Talidomida, Opren, Zomax, e tantos outros remédios que foram tirados do mercado (mas haviam sido exaustivamente testados em animais) por terem causado deformidades em bebês e morte de inúmeras pessoas.

E graças a Deus que quando Fleming descobriu a penicilina não se testava em animais, porque a penicilina pode matar ratos ou hamsters. Se tivessem testado em animais e estes tivessem morrido, poderiam ter descontinuado seus estudo e não teríamos tido a penicilina. Por que não falam isto também?

É preciso evoluir. Chega de métodos antiquados que não asseguram a segurança de medicamentos e que além do mais ainda maltratam animais". (Ana Rita Hermes)


Assine este abaixo assinado pelos animais da UFSC ?  http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=UFSC2011
Obrigada