quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Feliz HALLOWEEN !

Todos que se desdobram em 1000 para ajudar os animais merecem as bençãos desta data que, ao contrário do que muitos pensam, não é do mal. Para variar, a ignorância e o medo do desconhecido fez com que alguns homens temessem as mulheres que sabiam usar seus poderes e ervas de cura. Por medo, elas foram marginalizadas. Se algumas se voltaram para o mal, acredito que tenha sido pelas injusticas sofridas (nao havia terapia rsrs). Mas hoje, e aqui no BLOG, tenho certeza que quem nos lê é do bem, deseja o bem e pratica a cura pelo AMOR e, assim,  acaba fazendo MILAGRES para conseguir ajudar os animais, outros que sofrem com a ignorância dos humanos!
A doce Katia Cilene,  sempre arrebentando em suas colagens, me mandou este lindo cartaz que compartilho, abaixo. 

   Bom dia para todos os bruxos e bruxas do bem !


  PARABÉNS !

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

domingo, 27 de outubro de 2013

PROTETORES - LINDO texto de Rose Mussi

669ac560fa4673224c163bd58a833389
OS PROTETORES DE ANIMAIS: ESSES SERES ESQUISITOS.
Surgem em tempos de lutas sociais, com representantes de vários segmentos da sociedade, os “protetores” de animais. Pessoas que além de salvarem cães, gatos, cavalos e outros animais, lutam pelo seu direito a uma vida digna e contra os maus tratos que sofrem na convivência com os seres humanos.
Mas, afinal, quem são essas pessoas que dedicam seu tempo, grande parte de sua renda e  muito afeto para resgatarem animais abandonados e maltratados por uma sociedade em que a maioria das pessoas é indiferente a tal crueldade? Quem são esses indivíduos que nada se importam se terão alguma recompensa material depois de tanto trabalho, empenho e sacrifício? Serão pessoas que precisam ocupar o tempo por tê-lo ocioso ou apenas estariam sem saber o que fazer com seu saldo positivo no banco?
O número de pessoas dedicando-se à “causa animal” está aumentando. Que movimento é esse que toma conta do Brasil e de outros vários países pelo mundo? São pessoas que se unem por um motivador subjetivo, algo que faz com que o pensamento capitalista seja deixado para segundo plano e seu tempo passe a não valer mais dinheiro e sim o número de vidas inocentes que são resgatadas por dia. Isso não seria tão diferente dos casos em que pessoas se dedicam a minorias sofridas se as vítimas não fossem seres considerados tão inferiores e, para muitos, insignificantes. Ah! E com um agravante: os sacrificados não podem levantar seu clamor pelos seus direitos.
A mídia brasileira já percebeu que algo está acontecendo, mas até agora, não sabe bem de onde vem a fumaça. Algumas emissoras de televisão, algumas revistas e jornais noticiam de maneira superficial a tragédia em que vivem os animais abandonados e mostram algumas pessoas envolvidas na luta para diminuir o problema. Teimam em passar a ideia de que as referidas iniciativas sejam resultado de uma vida excêntrica ou consequência de distúrbios emocionais causados pela solidão ou pela senilidade. Entretanto, quem serão os “esquisitos” realmente? Se “normais” são os que se sentem absolutamente nada responsáveis e se resguardam o máximo direito de sequer compadecerem-se do sofrimento que está escancarado pelas esquinas desse país, a palavra “misericórdia”, que em alguns dicionários aparece como sinônimo de “amor”, deveria ser excluída do léxico da língua portuguesa/brasileira. Porém, a questão é mais complexa. Passa pela cultura, pela filosofia e crenças de um povo.
Torna-se ainda mais misteriosa a natureza desses valentes, quando fica clara sua vida cotidiana tão semelhante a daqueles que nada fazem pelos animais nos quais tropeça todos os dias pelas ruas. São pessoas que trabalham, mulheres e homens que têm horários, afazeres comuns e enfrentam a correria do dia a dia naturalmente. Todavia, encontram um jeito de esticar as 24 horas e encaixarem uma tarefa árdua, sofrida e muitas vezes com um final triste e dramático. Porque não é sempre que um animal resgatado sobrevive. Mesmo depois do socorro, dos cuidados veterinários, há aqueles que sucumbem, para os quais todo esforço não foi suficiente. Animais que já estão há muito tempo nas ruas, sem alimento, doentes e sofrendo maus tratos, muitas vezes são resgatados apenas para morrerem em situação mais digna. No entanto, ao contrário do que poderia se esperar, o “protetor” não julga ter perdido tempo. Ele lamenta, chora por ter perdido uma vida.
Assim também, há outro grande desafio para esses heróis marginalizados, vistos como insanos pela parte alienada da sociedade, que é bancar financeiramente uma quantidade enorme de despesas com transporte dos resgatados, atendimento veterinário, medicamentos, Lts (lares temporários) e outros contra tempos que geralmente ocorrem.
É dessa forma que o trabalho se torna ainda mais interessante, pois em consequência dessa necessidade, as pessoas envolvidas na “causa” unem-se, apoiam-se, passam a fazer parte de uma grande família. Os sites de relacionamento propiciam essa interação e, cada vez mais, servem como sala de reunião para esse grupo de pessoas que, a despeito da falta de apoio das autoridades governamentais, abraçaram um problema que tem se tornado de calamidade pública em algumas cidades.
Se formos esperar que a história siga seu curso, resta saber de onde virá a Princesa Isabel, a Redentora, que virá abolir a situação triste, submissa e humilhante em que vivem nossos irmãos, chamados pela sábia ciência desavisada de “irracionais”. Em 1986, a atriz francesa Brigitte Bardot fundou uma instituição em defesa dos animais. A atriz declarou: – “Quando se é capaz de lutar por animais, também se é capaz de lutar por crianças ou idosos. Não há bons ou maus combates, existe somente o horror ao sofrimento aplicado aos mais fracos, que não podem se defender.” Vêm da mesma casta os “protetores” anônimos para o mundo das celebridades. Comungam da mesma convicção de que somos todos iguais, habitantes do mesmo planeta onde convivem fortes e fracos e no qual a luta pela justiça tem sido causa de batalhas do passado, presente e sem data para terminar.
Rose Mussi

Alguns protetores de Floripa/SC,  num Evento do Instituto É o Bicho!
Mas tá faltando muita gente boa na foto e cada dia chega mais - 
Bem vindos!  

sábado, 26 de outubro de 2013

Parabéns SANTA CATARINA ! Menos exploração e mais uma conquista...





Para o bem dos nossos 

Anjos com Asas nas orelhas!


Meu sincero agradecimento às Deputadas Ana Paula Lima, Angela Albino e demais Deputados da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa do Estado, pela aprovação do Projeto. 
Obrigada Suzete Antunes, por divulgar em seu mural.

"O projeto para proibir o aluguel de cães em Santa Catarina foi aprovado em 22/10/2013 na Comissão de Justiça da Assembleia. 
Proposta das deputadas  Ana Paula Lima e Angela Albino 


Florianópolis, 22/10/2013 – Deputados da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa da Assembleia Legislativa aprovaram, na manhã desta terça-feira, o Projeto de Lei 79.2/2013, que proíbe a prestação de serviços de vigilância de cães de guarda com fins lucrativos em Santa Catarina. A deputada Ana Paula Lima, líder da Bancada do PT e uma das autoras da proposta, está otimista quanto à aprovação do projeto que, antes de ser votado em plenário, ainda será analisado nas comissões de Segurança Pública e na de Turismo e Meio Ambiente.
“Precisamos avançar e aperfeiçoar a nossa legislação para proteger os animais contra os maus tratos. Esse projeto é para acabar com um tipo de exploração que, além de considerarmos cruel, também é o uso de animais em serviços que seriam realizados por vigilantes que tem preparo e habilidade técnica para a função”, disse a deputada. Ela lembrou que essa atividade animal geralmente é realizada de maneira clandestina, sem nenhuma fiscalização.

Entre as denúncias recebidas de entidades protetoras de animais, está o fato que os cães utilizados para resguardar imóveis de terceiros ou construções, “ficam sem qualquer assistência alimentar e veterinária, sem contar a solidão em que vivem tais animais”, conforme a justificativa do projeto, que foi protocolado em abril e também tem a assinatura da deputada Ângela Albino (PCdoB).
No artigo primeiro da proposta, o texto é taxativo: “Fica proibida a celebração expressa ou verbal de contratos de locação, prestação de serviços, de mútuo e comodato e de cessão de cães para fins de vigilância, segurança, guarda patrimonial e pessoal das propriedades públicas e privadas no âmbito do Estado de Santa Catarina”. No primeiro parágrafo desse mesmo artigo, está expresso que “Entende-se por infrator desta Lei o proprietário dos cães, o proprietário do imóvel em que os animais estejam realizando a guarda e/ou a vigilância”. Se a matéria for aprovada, também estará sujeita a punição qualquer pessoa que contrate, por escrito ou verbalmente, a utilização animal para a atividade de segurança.
Linete Martins
Assessora de Imprensa
Mandato Deputada Ana Paula (PT)" 


Eles também agradecem!


sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Médicos contrários à Vivissecção (Por favor, leiam?)


Para quem acha que vivissecção é imprescindível, aqui vão váááários depoimentos de autoridades no assunto. Albert Sabin é apenas um deles...Neste livro tem 1000. LEIAM. Tem muita grana envolvida nestas pesquisas e animais não falam. Pobres animais! Compartilhem? Obrigada.



 Médicos contrários à Vivissecção
 As citações abaixo foram extraídas do livro1000 Médicos (e muitos mais) contra a Vivissecção, (Ed. Hans Ruesch), CIVIS, 1989:











As citações abaixo foram extraídas do livro 1000 Médicos (e muitos mais) contra a Vivissecção,(Ed. Hans Ruesch), CIVIS, 1989:

“A razão pela qual eu sou contra pesquisas com animais é porque elas não funcionam, não tem valor científico e todo bom cientista sabe disso.”

- Dr. Robert Mendelsohn, MD, 1986, Chefe da Licensing Board for the State of Illinios, pediatra e ginecologista por 30 anos, médico colunista e autor de best-seller, destinatário de inúmeros prêmios de excelência em medicina.

“Como não existe uma maneira de defender o uso de sistemas de modelo animal em linguagem simples ou com fatos científicos, eles recorrem ao jargão técnico … A virtude de sistemas de modelo animal para aqueles em busca dos dólares federais é que pode ser usado para provar qualquer coisa – não importa o quão tola ou falsa, ou perigosa possa ser.Existe uma variação tão grande nos resultados dos sistemas de modelo animal que há sempre algum sistema que irá ‘provar’ um ponto. … A moral é que os sistemas de modelo animal,não só matam animais, eles também matam seres humanos. Não há nenhuma evidência factual para mostrar que o uso de animais em pesquisa sobre o câncer levou à prevenção ou cura de um único câncer humano “.

- Dr. DJ Bross, Ph.D., 1982, ex-diretor do maior instituto de pesquisa do câncer no mundo, o Instituto Sloan-Kettering, então diretor de bioestatística, Roswell Memorial Institute, Buffalo, NY.

“Praticamente todas as experiências com animais são insustentáveis ​​em uma base científica estatística, pois elas não possuem validade científica ou confiabilidade. Elea simplesmente executam um álibi para as empresas farmacêuticas, que esperam se proteger deste modo”

- Herbert Stiller, MD & Margot Stiller, MD, 1976.

“Como todos os membros da minha profissão, eu fui educado na crença de que quase todo fato importante na fisiologia foi obtido por vivissecção e que muitos dos nossos recursos mais valiosos para salvar vidas e diminuir o sofrimento tinham resultado de experiências com os animais inferiores. Agora eu sei que nada disso é verdade sobre a arte da cirurgia, e não só eu não acredito que a vivissecção ajudou o cirurgião um pouco, mas eu sei que muitas vezes levou ao erro “.

- Prof Lawson Tait, MD, 1899, Fellow of Royal College of Surgeons (FRCS), Edimburgo e Inglaterra. Aclamado como o cirurgião mais ilustre de seu tempo, o criador de muitas das modernas técnicas de cirurgia, e recebeu inúmeros prêmios de excelência médica.

“Os experimentos nunca foram os meios para a descoberta, e um levantamento do que foi tentado nos últimos anos em fisiologia vai provar que a abertura de animais vivos tem feito mais para perpetuar erros do que para confirmar a compreensão correta tomada a partir do estudo da anatomia e movimentos naturais “.

- Sir Charles Bell, MD, 1824, FRCS, descobridor da “Lei de Bell” em nervos motores e sensoriais.

“A vivissecção é bárbara, inútil e um empecilho ao progresso científico. Aprendi a operar a partir de outros cirurgiões. Este é o único caminho, e todo bom cirurgião sabe disso.”

- Dr. Werner Hartinger, 1988, cirurgião a 30 anos, presidente da Liga Alemã de Médicos contra a Vivissecção (GLDAV).

“Normalmente, as experiências com animais não só não contribuem para a segurança dos medicamentos, mas elas ainda têm o efeito oposto.”

- Prof Dr. Kurt Fickentscher de 1980, do Instituto Farmacológico da Universidade de Bonn, na Alemanha.

“Experimentos com animais levam, inevitavelmente, a experiências com as pessoas … Como se um experimento animal pudesse prever o mesmo resultado em uma pessoa. E como se um experimento em um ser humano permitisse prever as reações de um outro ser humano, cuja biologia e metabolismo são diferentes, cuja pressão arterial é diferente, cujo estilo de vida e idade e nutrição e sensibilidade e genes e tudo o mais são diferentes … Nós reconhecemos que cada organismo único, seja humano ou animal, tem suas próprias reações … A medicina ortodoxa e cirurgia supressiva de hoje não entendem o propósito da doença e, portanto, não sabem como tratá-la. A experiência de um verdadeiro médico deriva de sua intuição natural, juntamente com a sua observação no leito, mas nunca de invasivas, violentas experiências em pessoas, e muito menos em animais. Ao invés de higiene vital, que visa a preservação ou reconstrução da saúde por meios naturais e evita todo o uso de degradantes e destrutivas substâncias químicas,estudantes de medicina de hoje são apenas ensinados a manipular venenos e a mutilar corpos. Exigimos que isto seja alterado. ”

- Prof Andre Passebecq, MD, ND, D.Psyc, 1989, Faculdade de Medicina de Paris, o então presidente da Liga Internacional de Médicos contra a Vivissecção (ILDAV)..

“Criar câncer em animais de laboratório não pode e não vai nos ajudar a entender a doença ou a tratar as pessoas que sofrem com isso.”

- Dr. A. Sabin, 1986, desenvolvedor da vacina oral contra a poliomielite.

” Todo o nosso conhecimento atual da medicina e cirurgia deriva da observação do homem seguindo especialmente o método anátomo- clínico introduzido por Virchow : sintomas do paciente enquanto vivo e as alterações encontradas no corpo morto. Estas observações levaram-nos a descobrir a conexão entre tabagismo e cancer, entre a dieta e arteriosclerose, entre o álcool e cirrose, e assim por diante. Mesmo o factor RH não foi descoberto em macasus rhesus. As observações de Banting e Best em relação à diabetes,atribuídas a experiências em cães, já são bem conhecidas. Cada descoberta deriva a partir de observações feitas em seres humanos, que são posteriormente duplicadas em animais,e sempre que acontece dos achados coincidirem, a sua descoberta é atribuída à experimentação animal. Tudo o que sabemos hoje em medicina deriva a partir de observações feitas em seres humanos. Os antigos romanos e os gregos ganharam a maior parte do conhecimento a partir de estudos epidemiológicos de pessoas. O mesmo vale para a cirurgia. Cirurgia não pode ser aprendida em animais. Animais são anatomicamente completamente diferentes do homem, sua reatividade é completamente diferente, a sua estrutura e resistência são completamente diferentes. De fato , os exercícios em animais são enganosos. O cirurgião que trabalha muito com animais perde a sensibilidade necessária para operar em seres humanos ” .

- Prof de Bruno Fedi , MD , 1986 , Diretor do Hospital da Cidade de Terni , Itália, anatomista , patologista, especialista em urologia , ginecologia e oncologia.

“A minha convicção é que o estudo da fisiologia humana através da experimentação em animais é o erro mais grotesco e fantástico já cometido em toda a gama de atividade intelectual humana.”

- Dr. GF Walker, 1933.

“Por que eu sou contra a vivissecção? A razão mais importante é porque é má ciência, produzindo um monte de enganos e confundindo os dados que apresentam riscos para a saúde humana. Também é um desperdício do dinheiro do contribuinte pegar animais saudáveis ​​e artificialmente e violentamente induzir doenças que eles normalmente não teriam, ou que ocorrem de forma diferente, quando já temos as pessoas doentes que podem ser estudadas enquanto estão sendo tratadas. ”
- Dr. Roy Kupsinel, MD, 1988, editor da revista médica, nos EUA.

” A crescente oposição à vivissecção é compreensível, tanto na questão ética como biológica. No entanto, uma certa cultura cientificista diz que  servem para salvar vidas humanas. Mas a realidade é completamente oposta. Vamos pegar o caso de pesticidas. Estes produtos perigosos usados ​​na agricultura, são classificados de acordo com sua toxicidade aguda, formada com a dose letal 50%  teste em animais.Isso representa não só um sacrifício inútil dos animais, mas é um álibi que permite que a indústria química venda produtos que são classificados como inofensivos ou quase inofensivos , mas na realidade são muito prejudiciais no longo prazo , mesmo quando tomados em pequenas doses. Muitos pesticidas classificados como pertencentes à quarta categoria , o que significa que pode ser vendido e utilizado livremente , acabaram por serem cancerígenos e mutagénicos, ou capaz de prejudicar fetos. Também neste caso, os testes em animais não são apenas ambíguos, mas servem para colocar no mercado produtos onde qualquer efeito cancerígeno será apurado apenas quando usado por seres humanos – as verdadeiras cobaias das multinacionais. E ainda existem exames laboratoriais que podem ser usados, que são mais baratos e mais rápidos do que os testes em animais; testes in vitro em culturas de células, que provaram seu valor há anos, mas os interesses das indústrias químicas em impingir-nos novos produtos em todas os campos não pode ser questionado. ”

- Prof Gianni Tamino , 1987 , biólogo da Universidade de Pádua , um deputado no Parlamento italiano.

“Os sistemas de modelo animal diferem de suas contrapartes humanas. Conclusões extraídas da pesquisa animal, quando aplicada a seres humanos, são suscetíveis de atrasar o progresso, enganar e fazer mal ao paciente. Vivissecção ou experimentação animal, deve ser abolido”.

- Dr. Moneim Fadali, MD, 1987, FACS, Diplomata da Câmara Americana de Cirurgia e Câmara Americana de Cirurgia Torácica, UCLA , Royal College of Surgeons of Cardiology, no Canadá.

“Experimentos em animais não significam apenas a tortura e a morte para os animais, mas também significa a morte de pessoas. Vivissecção é uma faca de dois gumes.”

- Maior RFE Austin, MD, 1927, Royal College of Surgeons, Licenciatura do Royal College of Physicians.

Cawadias (1953) disse que “A história da medicina tem demonstrado que, sempre que a medicina tem se desviado da observação clínica, o resultado foi o caos, estagnação e desastre.”
(British Medical Journal, 8 de outubro de 1955, p.867.)

Fonte: pnc.com.au – com livre tradução Veggi & Tal


Também agradeço!


quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Evento de Adoção em Floripa etc

Divulgue bastante este cartaz? Afinal duas ONG`s de Floripa estarão 
juntas no Evento. Quanto mais divulgarmos, na Grande Florianópolis, mais chances teremos de nossos anjos com asas nas orelhas
 conseguirem uma família. Obrigada


E como o assunto da semana é vivissecção, algumas verdades:


segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Solidariedade

O assunto da semana ainda continua e a mídia tem dado versões diferentes dos fatos. O que mais me cansa são os questionamentos do tipo: "se não testassem a gente não estaria tão evoluído em medicamentos, vacinas etc". Só que isso é uma mentira. Os testes em animais atrasaram muitos remédios e vacinas,  por anos! Pesquise. Quanto as aulas, já há métodos substitutivos, onde se aprende sem mutilar um ser vivo ou matar,  como muitas Universidades já fazem, inclusive algumas brasileiras.  

domingo, 20 de outubro de 2013

Ainda sobre vivissecção

Desabafo de Ana Rita Hermes sobre vivissecção e veiculações na mídia a respeito da retirada dos animais do Instituto Royal, ontem:



"Alguém conta prá Rede Globo que a vacina Sabin teve um atraso de mais de 10 anos para ser lançada porque era testada em animais? A primeira vacina contra pólio e contra raiva funcionou bem em animais, mas matou as pessoas que receberam a aplicação. Albert Sabin reconhece que o fato de haver realizado pesquisas em macacos Rhesus atrasou, em mais de 10 anos, a descoberta da vacina para a pólio.


Se a indústria farmacêutica está tão preocupada com nosso bem-estar, como é que ainda não conseguiu descobrir a cura para inúmeras doenças? É a indústria da doença e não da cura. Imaginem se a maioria das doenças fossem curadas? Do que essa indústria iria viver?

E alguém diz prá eles que somente 5% dos testes feitos em animais mostram-se eficazes e puderam se tornar medicamentos. E destes 5%, muitos são tirados do mercado depois que a população, isto mesmo, você, eu, nós, que somos as verdadeiras cobaias destes produtos, sofremos os efeitos colaterais graves e até morte. Com certeza já ouviram falar em Talidomida, Opren, Zomax, e tantos outros remédios que foram tirados do mercado (mas haviam sido exaustivamente testados em animais) por terem causado deformidades em bebês e morte de inúmeras pessoas.

E graças a Deus que quando Fleming descobriu a penicilina não se testava em animais, porque a penicilina pode matar ratos ou hamsters. Se tivessem testado em animais e estes tivessem morrido, poderiam ter descontinuado seus estudo e não teríamos tido a penicilina. Por que não falam isto também?

É preciso evoluir. Chega de métodos antiquados que não asseguram a segurança de medicamentos e que além do mais ainda maltratam animais". (Ana Rita Hermes)


Assine este abaixo assinado pelos animais da UFSC ?  http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=UFSC2011
Obrigada



sábado, 19 de outubro de 2013

Parabéns aos corajosos ativistas...

que participaram no resgate dos animais do Instituto ROYAL. A imagem ao lado ganhou a rede, merecidamente. O cão beagle  foi um dos resgatados da morte lenta, cruel e desumana, hoje.
Aqui em Floripa/SC  me deparo, todos os anos, com a impotência de resgatar os que estão aqui, pertinho de mim, no Biotério da Universidade federal de Santa Catarina - UFSC. Grupos começam debates mas não se conclui nenhuma ação nesse sentido. Em nome da ciência mutilam, matam e maltratam animais diversos. Soa campo de concentração para você? E é mesmo. O que se produz com essa matança e crueldade? Há homens que jamais entenderão o sofrimento dos animais e os ignoram, mesmo sabendo que ANIMAIS SENTEM. 
Como pode? Não tenho essa resposta e não compactuo com essa maldade. Parabenizo aos corajosos que hoje, em São Paulo, efetuaram a libertação de vários animais. Sinto muito que a Polícia apenas cumpra ordens; se pensassem, ajudariam os ativistas! Na Itália já houve caso semelhante e todo mundo apoiou. No Brasil,  a mídia de elite deita e rola, comprometida  com interesses financeiros de um "seleto"  grupo. Triste? MUITO! 
Eles pedem que coloquemos uma foto de um beagle no perfil do FB como forma de apoiar os resgates. Já fiz isso. Faça também? Outra grande ajuda é boicotar, não comprando, de empresas que testam em animais. Aqui tem a lista completa e atualizada: 
Obrigada
No Blog da Luisa Mell tem uma explicação simples do caso, para quem ainda não entendeu o que está acontecendo. Recomendo a leitura, bastante didática.

Ilustrando o caso  com  imagens da internet:


Sugestão para perfil e capa do Face Book



         

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

VOTE e divulgue esse importante Projeto de Lei

Projeto de Tripoli criminaliza morte, abandono, envenenamento de cães e gatos com penas que vão 

até 10 anos de reclusão

(Brasília, 14 de outubro de 2013) - Depois de ser aprovado em todas as Comissões Permanentes da Câmara dos Deputados, o Projeto de Lei 2833/11, de autoria do Deputado Federal Ricardo Tripoli, PSDB, está pronto para ser votado em Plenário, desde meados de 2013.
Agora, o parlamentar conseguiu aprovar requerimento de urgência e, além disso, a Câmara dos Deputados está promovendo uma enquete para avaliar o apoio da população a esse aumento de penas. O projeto teve relatório favorável inclusive na Comissão de Constituição e Justiça, onde recebeu apenas uma emenda. A luta agora é para aprová-lo em Plenário.
O texto final do projeto, que deve ser apreciado em plenário, cria tipos penais fundamentais para dar subsídio ao Poder Judiciário, visando a efetiva punição de quem mata, abandona, deixa de prestar socorro, mantém acorrentados, promove lutas e expõe a perigo a vida, a saúde e a integridade física de cães e gatos.
Quem matar um cão ou gato estará sujeito à reclusão de 3 a 5 anos (o texto original previa reclusão de 5 a 8 anos). Se o crime é cometido com emprego de veneno, foto, asfixia, espancamento, arrastadura tortura ou outro meio cruel, a pena será de reclusão, de 6 a 10 anos.
Deixar de socorrer um cão ou gato em vias ou logradouros públicos ou particulares, pode sujeitar o infrator à pena de detenção, de 2 a 4 anos, aumentada de um terço se o crime é cometido por autoridade pública.
O abandono de cães e gatos, um dos maiores dramas enfrentados na maior parte das cidades brasileiras, passa a ser punido com detenção de 3 a 5 anos. Promover luta entre cães, a cruel rinha, pode levar o infrator à detenção de 3 a 5 anos. Já a pena prevista para quem mantém um animal acorrentado é de detenção de 1 a 3 anos.
O projeto também inova ao estabelecer como crime o ato de “expor a perigo a vida, a saúde ou a integridade física de cão ou gato”, que pode ser punido com detenção, de 2 a 4 anos. Nesse caso, o infrator responderá pelo crime somente pelo fato de expor o animal a risco de dano, independentemente da ocorrência deste dano. Aprovado na Câmara, o PL segue para o Senado.
Divulgue esse importante PL!
Vote na enquete!
E se tiver alguma dúvida, entre em contato com o deputado Tripoli: contato@tripoli.com.br.
Fonte: Assessoria do deputado.
Foto: Regina Macedo.

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Floripa/SC = Instituto É o Bicho CONVIDA




Recebi de Isabela Cirino e Patrícia Bali  estes cartazes e  peço que compartilhem, para ajudar o maior número de animais. Já informo que a linda  HEBE 
estará presente. 
PRESTIGIE e divulgue? Obrigada!

Último evento do ano! Adotar é o Bicho, no Shopping Iguatemi Florianopolis. Dia 19 de outubro, das 14 às 19 horas, no piso G3, espaço interno. Todos os animais que participam do evento já estão vacinados e castrados, prontos para dar e receber muito carinho, aguardando um lar responsável!  Divulgue muito! Participe! Inscreva-se como voluntário, doe ração ou outros objetos para animais, venham visitar os peludos e ter uma tarde agradável, boa energia e gente do bem! Adote! Mude o destino de uma vida!