sexta-feira, 12 de julho de 2013

Novas descobertas CANINAS - Amei !


A matéria abaixo confirmou o que eu já sabia. Sei porque, em apartamento, a convivência é mais intensa que numa casa com quintal. Porém, se você ficar atento vai perceber que, mesmo com um quintalzão, eles SEMPRE preferem estar na porta da cozinha, da sala etc, onde os donos ficam mais tempo.
Ou seja, nossa companhia é mais importante que espaço.
Por isso, um sítio onde eles só veem os donos fins de semana, não é o melhor. Nunca. Mas já houve época em que eu achava que espaço era o que importava. Tenho certeza que muita gente acredita nisso ainda e não sabe o quanto eles se afeiçoam. Isso também me deixa culpadíssima quando doo um cão que ficou muito tempo comigo. Tem uns que choro sempre quando visito, mesmo anos depois. E alguns eu queria ter ficado, de verdade... Mas enfim, leia a matéria, vale a pena. Fico feliz quando me deparo com novos estudos sobre os cães. 

Pena que eles não falam, teriam MUITO a nos ensinar!

Cães veem os donos como se fossem seus pais
 26 de junho de 2013
Que fofura. E como você é o pai, claro, seu cachorro age como se fosse uma criança – mesmo se ele já estiver velhinho.

Foi o que 22 cachorros mostraram numa pesquisa liderada pela veterinária Lisa Horn, da Universidade de Viena, na Áustria. Ela os separou em três grupos: um terço ficaria sem o dono, enquanto os outros estariam acompanhados por eles – só que parte dos donos deveria se manter em silêncio, e outra parte deveria encorajar os cães a fazer as atividades. E tudo o que os bichinhos precisavam fazer era interagir com alguns brinquedos. Em troca, ganhariam comida.
Os cachorros que estavam com os donos passavam muito mais tempo brincando. Nem a comida servia para motivar os cães ‘abandonados’.
A pesquisadora refez o teste, mas dessa vez os donos foram substituídos por pessoas desconhecidas. Nenhum dos cães mostrou muito interesse pelos brinquedos.
Segundo Horn, os testes são suficientes para provar a existência da “área de segurança”. Ou seja, os cães se sentem mais seguros, confiantes e confortáveis na presença dos donos. Sem eles, tudo parece mais perigoso – e sem graça. E é exatamente o que acontece na relação entre pais e filhos pequenos. “Esta é a primeira evidência da similaridade entre o ‘efeito de base segura’ encontrado na relação dono-cachorro e na criança-pai”, diz a pesquisa.
Pra quem tem um bichinho é fácil perceber isso, não? Quantas vezes você não disse por aí que seu cachorro age sempre como se fosse uma criança?
Crédito da foto: flickr.com/mfhiatt