sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Resgate do Dumbo - Porto Alegre


Janaina de Porto Alegre se animou em contar a linda história do Dumbo depois que eu postei "O primeiro resgate a gente nunca esquece", e me mandou por e-mail, que transcrevo abaixo:

Essa história aconteceu há quase três anos atrás, no dia que eu prestava vestibular pra faculdade de medicina veterinária. O cão ficou conhecido como o "Patinho Feio".
Eram seis horas da manhã, e era um dia extremamente chuvoso de janeiro de 2010. Eu saí cedinho pois estava prestando vestibular pra veterinária na UFRGS. Ao chegar na parada de ônibus me deparei com uma cena de cortar o coração: um filhote, muito pequeno, com um barrigão de vermes, o focinho machucado e o corpinho tomado pela sarna, mas o mais peculiar nele eram as orelhas, que eram nada menos que ENORMES! Eu notei que ele olhava para todas as pessoas na parada, e ninguém sequer olhava pra ele... Eu sabia que se eu não o pegasse, ele seria atropelado, pois aqui é uma das avenidas mais movimentadas de Porto Alegre. Então, mesmo estando muito atrasada e correndo o risco de perder a vaga no concurso vestibular, peguei ele no colo e trouxe correndo pra casa.
Menti pro meu marido que ele tinha sido abandonado no nosso portão, já que estávamos com muitos cães e ele não queria que eu trouxesse mais um; e corri para a parada para fazer a prova.
Voltei pra casa ao meio dia e fui "atender" o anjinho. Constatei que ele tinha uma mordida muito grande e inflamada no focinho, acredito que resultado de alguma briga por lixo ou restos de comida, estava muito parasitado por pulgas/carrapatos, vermes e sarna. Levei-o ao veterinário e comecei a tratar o cachorro, que logo ganhou o nome de Dumbo, e que crescia em velocidade espantosa. Em poucos dias ele já triplicara seu peso!!! Foi criando porte, a sarna foi sumindo e ele estava pronto pra adoção, porém, o ÚNICO email que eu recebi sobre ele, foi de uma mulher dizendo que "ele era um cão muito feio". Acreditam?
Como não poderia deixar de ser, nosso coração foi tomado por esse anjo orelhudo, que cresceu e ficou "proporcional" e lindo. Minha mãe, após ficar seis meses sem vê-lo, ao vir nos visitar falou: "mas esse não é aquele cachorro orelhudo e feio, né?"... Então, dá pra vocês terem uma noção, né???
Bom, o Dumbo passou por um câncer quando ainda filhote e perdeu boa parte dos dentinhos, o que não o impede de ser um "arteiro de conta" e roer tudo que não deve... Mas agora é um cão adulto e muito carinhoso. O Dumbo é o nosso "patinho feio", que hoje é um "cisne real".