quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Despedida: VENDE-SE UM SOFÁ. URGENTE!

Abro o Face e dou de cara com este texto lindo, sofrido, emocionante e divido com vocês.
Sinto muito, Tânia Zink Cunha. 
Só posso dizer que a Lolinha conheceu o amor e foi uma cadela MUITO sortuda, já que muitos  nunca saberão o que é isso, pois nem alguns humanos sabem. Sinto muito pela perda, mas elas são inevitáveis...

VENDE-SE UM SOFÁ. URGENTE!
Minha amada filhinha,
Só agora respondo tua cartinha.
Hoje chegou o dia em que nos deixaste.
Dou mais uma volta na sala e olho para o sofá.
Não estás mais lá.
Teu lugarzinho cativo.
Onde deste teu último suspiro há poucas horas atrás.
Como sou muito egoísta, cá estou eu, chorando em bicas.
De pura saudade, já.
Minha linda “Miss Praça XV”, apelido que o Danilo te deu, e onde te achei há 12 anos.
Parece que foi ontem.
Bendito dia aquele.
Reli tua cartinha (http://www.ficacaomigo.com/2012/05/carta-aberta-um-idiota.html
e não pude deixar de emocionar.
É muito difícil para mim não ficar triste com a tua partida, minha SANTINHA.
Foram tantos momentos maravilhosos e felizes ao teu lado.
Lembra do dia em que te levei para nadar?
Com o Look, a Luna e a Duda.
Marzão de almirante no Ribeirão, calor de 40 graus, os três se jogaram na água direto.
Estava te levando pela guia, pois notei que estavas um pouco assustada.
Entrei na água e te conduzi mar adentro.
Me acompanhaste e quanto te soltei.... pumba...foste pro fundo.
É Lola, você é o único cachorro que eu conheci que NÃO SABIA NADAR.
Afundava feito um prego.
E nas vezes em que me ajudaste com cachorrinho novo em casa. Com aqueles que choravam nas primeiras noites. Era só deixar contigo para a garantia de uma noite tranqüila e sem barulho. A babá perfeita.
E as provocações para briga, todo dia. Quem via de fora, pensava que eras uma fera, mas era só fogo de palha, para brincarmos juntas. Para ganhares um “sarrinho” nas coxinhas...kakakaka
Minha chocólatra. Fazias tudo por um doce, seja qual fosse. Sorvete então...nossa.
Nos últimos dias, te via, no teu cantinho de sempre, no sofá, velhinha, quietinha, a doença avançando sobre teu corpo.
Tu, como sempre, corajosa e determinada, nem dando bola para ela.
Teu corpinho cheio de nódulos externos e tu fazendo brincadeira com a gente.
Era como uma volta no tempo.
Há doze anos eu te acariciava todos os dias com um algodão para livrar teu corpo da sarna. Nas últimas semanas eu fazia o mesmo, para cuidar das tuas lesões na pele, em razão do maldito câncer.
Lembras o que eu te prometi no dia em que te tirei da Praça XV?
Eu te disse que eu nunca, NUNCA, iria te deixar sofrer de novo.
Eu te jurei que não sentirias mais frio, fome, dor ou abandono.
Eu acho que falhei contigo hoje. Não pude te livrar do sofrimento.
Nem pude estar contigo na hora da despedida.
Mas fico muito feliz que estavas no teu sofá, teu cantinho, TEU LUGAR, com o Danilo e a Kaká.
Queria poder ter te dito mais uma vez: EU TE AMO.
Lolinha, só me resta dizer uma coisa:
Vende-se um sofá.
De couro, em ótimo estado, com um só defeito: tem uma presença nele.
A tua.
Eterna.
Segue em paz e até qualquer dia minha filhinha.
Da mãe que te ama e vai te amar sempre
Tania







terça-feira, 30 de outubro de 2012

Da série CÃES DE RAÇA abandonados = Chow chow

Como já postei aqui, encontrei esta chow chow no centro de Floripa, no cio, com 2 machinhos a seguindo, há 2 semanas. Tentei pegá-la mas ela fugiu. A sorte dela e a minha foi que a Ana Luz estava perto e a resgatou para mim. As fotos abaixo são de hoje a tarde, quando Ana Luz trouxe a fofa para "A" TOSA maravilhosa que eu ganhei da Clínica Veterinária 3 Irmãos. Tão bom quando clínicas ajudam protetores! Todas deviam ter o dia  do PROTETOR e doar um banho e tosa, que tal? Enfim, como ela estava com os pelos emaranhados, teve que "renovar" a cabeleira. Mesmo assim, com pelo ZERO,  ficou LINDA! E como é fotogênica! Vou postar todas as fotos para a Ana escolher 2 para o cartaz. Nome? Polly ou Hebe. Aberta a votação. Esta semana será castrada e semana que vem pode ser ADOTADA! Divulguem? Obrigada a todo o pessoal da clínica, que sempre me atende bem, obrigada a vocês por divulgarem e muito obrigada Ana, por estar cuidando dela!

PS = Adotada, leia AQUI







Sonhar pode...

 Imagens que são perfeitas e expressam liberdade, carinho, amor, amizade...tudo de bom!







segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Os animais e seus incríveis exemplos!

Mable, uma galinha de 1 ano, de Shrewsbury, Reino Unido, acha que é um cão e assume o papel de mãe de um grupo de cachorros. Para a surpresa dos proprietários e da mãe original (que mais brinca no quintal que dá atenção para os filhotes), Mable assume o cesto sempre que tem essa possibilidade.
Na Colômbia, uma gata adotou um filhote de esquilo que foi resgatado das ruas. Ela abraça o filhote como se fosse sua verdadeira mãe.

Essa mamãe adotou um porquinho orfão.

Cadela amamenta leãozinho como se fosse seu próprio filhote no 
zoológico de Ruchey Royev, na Sibéria. O filhote é o único 
sobrevivente de uma ninhada de quatro leões.

A labradora Lisha lambe suas crias: dois filhotes de tigres brancos. 
Mesmo sem ter tido nenhuma ninhada, as cadelas podem produzir
 leite, como foi o caso de Lisha. Ela tem dom para ser mãe. Além de adotar filhotes de tigres brancos, a fêmea também cria dois filhotes de chita.

Cadela amamenta filhotes de panda em Taiyuan, na China. 
Os bichinhos foram abandonados pela mãe após o nascimento. 
A mamãe adotiva cheira os filhotes de panda antes de amamentá-los.

Um casal de cães da raça golden retriever brincam com lontra selvagem em Pine Harbour, nos Estados Unidos. O animal foi adotado pelos cachorros depois de ser atropelado em uma rodovia. A cachorra trata a lontra como seu filhote.

A tigresa Sai Mai, do Zoo Sriracha Tiger, na Tailândia, adotou 
três porquinhos que foram rejeitados pela mãe.
Amizade poderia inspirar produtores de cinema ou criadores de desenhos animados. Em uma casa de Christchurch (Inglaterra) a cadela Daisy e o gato Hector resolveram adotar os microporquinhos Chinook, Serge, Frenchie, Biscuit, Nimrod e Manuka. Todos comem, dormem e brincam juntos, diz a dona Jane Croft. A inglesa garante que, apesar da crença popular, 
os suínos adoram andar limpinhos.


sábado, 27 de outubro de 2012

Mais uma vez e de novo = Encontrei um animal...

Abandonado. Este assunto NUNCA é demais e quem sabe assim, repetindo,  as pessoas leiam, não é? Repassem? Obrigada e lindo sábado!
Cartaz sem créditos...quem fez?

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Visitas de terça - parte 2


B A N D I T   U R G E N T E
Queridos amigos, hoje peço ajuda para o  Bandit. Ele  foi resgatado de um terreno abandonado na costeira em 11/09. Sempre foi arisco mas um doce. Tem pavor de seres humanos, exceto crianças. Por que seria né? Eu o coloquei numa hospedagem familiar mas a pessoa que cuidava, enquanto eu viajei, precisou tranferi-lo e ele agora está com MUITO espaço mas mais arisco que antes. Se enturmou com os cães do lugar, vivem em bando pelos morros, mas longe das pessoas. Isso para ele, não é nada bom. Dou a ração e tudo que ele necessitar mas preciso de alguém que possa cuidar dele de perto para faze-lo confiar no ser humano. Só assim  poderei doá-lo enquanto é filhote ainda. Você pode ser o anjo protetor dele e curar seus traumas, com paciência e carinho? Ele é quieto, filhote, e precisa de atenção. Se você puder ajudar, ligue 48.99619169. Preciso deste Lar de Apoio até dia 15/01/2013, ou seja, por 2 meses e meio. Depois posso cuidar dele pertinho de mim. Obrigada por me ajudarem a salvar o BANDIT. Agradeço à Simone Marcondes que foi comigo, na caieira da barra do sul, visitá-lo. Viagens longe assim, para quem não gosta de dirigir, é deprimente! Eis o primeiro post dele: http://www.ficacaomigo.com/2012/09/bandit-e-flash-resgatados.html  e as fotos de terça-feira, dia de andanças e visitas diversas aos resgatados-ho$pedados. Só o Bandit me deixou com o coração apertado demais, pobre anjo...





quinta-feira, 25 de outubro de 2012

A responsabilidade de ser Protetor de Animais

Impressionante como Lilian Rockenbach  expressa bem meu pensamento. Como sempre digo: Resgato os que estão no meu caminho,  tenho meus limites e isso é saudável. Recentemente viajei com minha filha, por 14 dias e tive o cuidado de deixar pessoas responsáveis por todos, caso algo nos acontecesse. Pensem nisso antes de assumirem muitos! Por dizer exatamente o que eu penso, colo aqui - na íntegra -  o excelente texto! Boa leitura!


A responsabilidade de ser Protetor de Animais
por Lilian Rockenbach 
Ultimamente é frequente o número de pessoas envolvidas com a causa animal que desistem , e divulgam isso como se os outros tivessem a obrigação de recolher os seus animais e resolver o problema criado por eles. Não bastasse isso, ainda temos outro número crescente de protetores que morrem e deixam 70, 100, 200 animais totalmente à míngua e entregues à própria sorte. Às vezes quando tomamos conhecimento do caso alguns destes animais já morreram por inanição, por brigas, doenças e frequentemente nestes casos encontramos o canibalismo. E quem tem condições de absorver estes animais se estamos todos superlotados e com dívidas em clínicas e lojas de rações?

Eu sempre digo a todos que o limite entre sanidade mental e desequilíbrio, na proteção animal, é muito tênue. Realmente não é fácil lidar com o pior ser humano que existe, um ser capaz de mal tratar e cometer as maiores atrocidades com outro totalmente indefeso, ou pior, quando esse ser indefeso pertence a esse humano, e vive somente por ele e para ele. Recolhemos das ruas animais em situações tão deploráveis que algumas vezes tendemos a nos revoltar com “todos” os seres humanos, porém esse é o primeiro passo para o desequilíbrio mental, que pode colocar em risco nossa vida, a vida de nossos familiares e a vida de nossos resgatados. 

Quando um protetor começa a dizer que “gosta mais de bicho do que de gente”, para humanos, geralmente ele é encarado pelos que não o conhecem e não tem conhecimento de sua luta como louco, e as pessoas em geral passam a se afastar dele. Entre nós, protetores, isso é compreensível por compartilharmos das mesmas vivências, porém quem dá esse primeiro passo geralmente dará o segundo que é atacar verbalmente a todos ao seu redor, às vezes ataca aos familiares, aos amigos e até os outros protetores que estão ao seu lado na militância, também salvando vidas.

O terceiro passo normalmente é o isolamento, a pessoa passa a querer somente a companhia dos animais, isola-se do mundo. Muitas vezes quando chega a este estágio já está fazendo tratamento contra depressão ou bipolaridade, já se afastou dos familiares, dos amigos, da família, perdeu o emprego, passou a perder a vaidade e, algumas vezes, não diferencia a sua vida da vida de seus animais. Então passa a recolher animais das ruas indiscriminadamente, como se quisesse, ou se pudesse, resolver a problemática dos animais sozinha. Neste ponto o único relacionamento que tem com outras pessoas é para pedir ajuda financeira, que dificilmente vem de acordo com o necessário, o que resulta em dezenas de animais na casa do protetor... Ambos, animais e humanos, passando necessidades. 

Quantos de nós não conhecemos esta história: Protetor sem amigos, sem familiares, sem emprego, sem dinheiro, com ordem de despejo e com dezenas de animais.

Já está cada vez mais difícil doar animais, principalmente pelo fato dele não confiar em nenhum humano, e se torna cada dia mais perigoso que este protetor se transforme num colecionador

Não existe uma fórmula para evitar que isso aconteça, todos nós estamos sujeitos a isso, mas penso que uma base familiar e amigos sinceros são de extrema necessidade para nos mantermos equilibrados. No meu caso particularmente, que já estive à beira de chegar a este estágio, que abandonei meu emprego, que recolhia animais indiscriminadamente sem pensar nas contas, que cheguei a dever em clínicas veterinárias cerca de duas ou três vezes o salário que recebo hoje, que pensei em me separar do meu marido porque ele tentava de alguma forma brecar meu impulso por recolher animais, que não pensava que minha filha, de dois anos na época, precisava de mim, que me afastei dos meus amigos, etc.. 

 O que me ajudou foi exatamente a família... Ouvir aos que me amam, com a mente aberta para poder absorver tudo aquilo, olhar ao redor e entender que não sou capaz de mudar o mundo, nem de salvar a todos os animais, entender que para proteger animais necessito estar equilibrada para não proporcionar a eles uma situação, às vezes, pior do que a que eles se encontravam antes de serem resgatados, perceber que os protetores de animais desequilibrados  e agressivos não são levados a sério, não podem levantar uma bandeira e nunca atingirão os seus objetivos na sociedade por não possuírem o potencial de credibilidade necessário para defender a causa, aprender resgatar animais de acordo com a minha capacidade financeira de lhes proporcionar tudo o que for necessário para seu tratamento enquanto estiver sob minha guarda, com a consciência de que ninguém tem a obrigação de me ajudar, e principalmente, pensar no amanhã.
Se amanhã eu não estiver mais neste mundo o que será de meus animais? Será que meu marido merece se transformar em protetor de animais de forma obrigatória? Será que ele terá condições de cuidar da casa, dos filhos e dos animais sozinho? Será que ele quer isso? Será que ele merece?... Ele não é protetor de animais, eu quem sou.

E seu eu morasse sozinha com 50 animais e morresse, o que seria deles?

Se você ama animais pense nisso, lembre-se que nenhum de nós tem garantia de vida neste planeta, pense que os animais sob sua guarda não podem se defender, e são totalmente dependentes de você. Lembre-se que a morte faz parte da vida e preocupe-se com o que será deles amanhã se você morrer hoje.

E pra você que decidiu deixar a causa animal porque tudo o que descrevi acima aconteceu com você, lembre-se que ninguém tem a obrigação de assumir o seu compromisso ou de resolver os seus problemas. Saia da causa de cabeça erguida, e doe antes todos os animais que estão sob sua guarda, assuma a responsabilidade pelo que fez, se você resgatou cabe a você doar... Essa obrigação é sua, de mais ninguém.