sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Por que há tantos cães e gatos abandonados?

No terrível, mas imprescindível, documentário "Terráqueos"- há uma cena que traduz a dura realidade de um cãozinho de rua sendo recolhido por um caminhão de lixo...

Mas afinal, por que há tantos cães e gatos abandonados?
Porque nascem em excesso
. É simples assim. 
 
E, para os que não encontram um lar, o destino costuma ser cruel: são atropelados, enxotados por onde passam, "jurados de morte" por pessoas intolerantes e até mutilados pelas mãos da ignorância em preconceituosos rituais satânicos. Assim vivem esses anjos de quatro patas: como indigentes esfomeados, sedentos de carinho, marginalizados, mas sempre à busca de dias melhores. 

De fato, é impressionante ver como os animais são aguerridos em sua luta pela vida. O ideal seria que não precisássemos intervir no controle da população de nenhuma espécie. Mas o mal já está feito. Já interferimos quando os domesticamos. Aliás, estamos interferindo o tempo todo, como espécie, em praticamente tudo. Por essa razão não cabe a argumentação, por parte de alguns, de que a castração é uma medida anti-natural e portanto má. Sim, esterilizar animais é anti-natural como quase tudo o que fazemos. Interferimos, de um lado, criando superpopulações - caso dos animais de estimação e daqueles criados para se tornarem alimento - e, de outro, condenando espécies à extinção. O que é supostamente "natural" não deveria ser um marco para balizar nosso comportamento. Em se tratando de sociedades humanas, o que é meramente natural não existe. Como disse o brilhante filósofo alemão Herbert Marcuse "o que é meramente natural é ultrapassado e recriado pela Razão". Não existe uma fronteira estanque entre "natureza" e "cultura". As duas estão inextricavelmente inter-relacionadas e, em muitos casos, uma é causa e/ou conseqüência da outra. 


No caso da esterilização de animais como cães e gatos, se olharmos sob uma ótica de custo-benefício para eles, fica claro que essa é a única opção eticamente correta(2). No entanto, a maior parte das pessoas ainda não se deu conta disso. As pessoas deixam de castrar seus animais de estimação pelos mais diferentes motivos. Muitos alegam falta de recursos, mas gastam dinheiro em tolices e supérfluos como roupas, bebidas e "diversão". Outros reagem com argumentos como "ah, sim, depois que ela tiver uma cria (4)", pois crêem que isso seja necessário ou, como bem é apontado no "Terráqueos", desejam que seus filhos vivenciem o "milagre da vida", uma atitude egoísta que só leva em consideração a experiência supostamente educativa que seus filhos terão e não o porvir das pobres criaturas cujo destino é totalmente incerto. Há ainda os que concordam que devem castrar seus animais, mas não o fazem. Acho que o nível de prioridade que elegem quando ouvem um "você precisa castrar seu animal" é algo parecido com "puxa, você precisa lavar o seu carro"! Em que mundo vivem tais pessoas? Não olham à sua volta? Não vêem quantos deles encontram-se abandonados, descartados como objetos?
Paula Brügger  brugger@ccb.ufsc.br

 É importante reforçar as vantagens da castração cirúrgica. Estudos têm demonstrado que cadelas castradas precocemente têm uma excelente qualidade de vida. A castração precoce em cadelas é um fator importante para decréscimo do risco de tumor mamário (veja por exemplo TANAKA, Neide. Tumor de mama: Qual a melhor conduta? Boletim Informativo da ANCLIVEPA, ano VII, n.29 jan/mar 2003:06-07). Além disso, uma cadela castrada não fica exposta a infecções uterinas e não tenta fugir para cruzar. Mas nem por isso deixam de guardar a casa. É preciso destacar que a castração não é obviamente correta do ponto de vista ético no caso de animais como bois ou porcos que são submetidos a tais procedimentos para atender à demanda dos seres humanos por carne ou tração em trabalhos forçados. A castração cirúrgica pode ser também uma solução eticamente correta para o controle de populações de outros animais (os exóticos, por exemplo).

 Muitos acham que sua cadela ou gata precisa ter pelo menos uma cria antes de ser esterilizada (castrada cirurgicamente), mas não há na literatura veterinária nada que indique essa necessidade. Por outro lado, estudos têm demonstrado que cadelas e gatas castradas precocemente têm uma excelente qualidade de vida.
Fonte:  http://amigosdosanimaisdetatui.blogspot.com/2011/11/por-que-ha-tantos-caes-e-gatos.html