segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Toda a historia do KIM - A D O T A D O

KIM chegou assim - bebe lindo - numa feira de adoção, final de 2010, no colo de sua dona, pedindo ajuda para doá-lo pois moravam em apto. O adotaram bebezinho mas "parecia" que ia ficar grande, pois estava crescendo muito rápido...
Só pelas "patinhas" deu para perceber que seria grande, mas nunca imaginei quanto!
Kim parece um bezerrinho. Mas voltando: ele fez sucesso na feira onde um  casal, que se interessou em adotá-lo, me pareceu ótimo.  Casa murada, quintal, carinhosos com o Kim,  uma criança...mesma configuração de família que ele estava acostumado. A menina fez  carinhos nele. Perfeito! Fiquei feliz de ter conseguido, em poucos minutos, encaminhar mais um cachorrinho para um lar. Este bebê  com carinha enrugadinha e mega dócil!!!
Fiz o termo de adoção com eles e, a partir dessa assinatura,
KIM passou a ser minha responsabilidade.
Passado dois meses da adoção, acho que "cansaram" do novo brinquedo e KIM ganhou um canil,
 num corredor ao lado da casa. 
 Me impressiona que as pessoas façam canis sempre longe dos olhos, como que para esconder o pobre cão, e selar sua imensa, e as vezes eterna,  solidão.
 Pedi para a família que era responsável por ele até então, ir até a casa conversar, uma vez que moravam perto. Não foram. Kim foi doado, problema dele, para o melhor e pior.
Mandei email para a família que o adotou, nunca recebi uma única resposta.
Não tinha como pegar o KIM. Tenho um cachorro com sarna demodécica e qualquer filhotinho macho que pego é mais uma crise que administro, assim, evito traze-los para casa.
Uma protetora, que morava perto dos adotantes, ficou monitorando mas sabíamos que haveria problemas, logo logo.
 O que nunca imaginei é que o descartariam.....casal com filha pequena, a gente acredita que sejam cuidadosos e também porque responderam toda uma entrevista cuidadosa. Triste engano. Doaram o KIM e, de fato, o encontrei no novo endereço.
Um amigo que morava no novo bairro, foi verificar para mim e bateu esta foto,
 na terceira casa dele, em maio...
Menos mal.  Estava solto, grande e não parecia maltratado mas  NUNCA havia ninguém na casa, nem me atendiam para conversar quando eu ligava e já estava na idade de castrá-lo.
 Era minha obrigação castrá-lo. Assim, meu amigo volta e meia passava lá e me dava notícias. KIM sempre sozinho e carente, se esfregava no protão para receber carinho...
bairro de casas de praia.
Quanta gente faz isso, deixa cães sozinhos em casas de praia, para cuidar da casa, e eles,  sem cuidado nenhum. Pecado!
Em junho,  nada ainda de eu conseguir contato e nada do KIM aparecer mais no portão.
Todo mundo acompanhando a sina dele mas, pelo porte, e por ser macho,
não havia como pegar o pobrezinho.
 As opções de ho$pedagens para cães de porte grande, aqui em Floripa, são caríssimas e em canis, uma situação que é longe, muito longe, da ideal, deixando o cão muito estressado e carente.
Assim, muitas vezes eles ficam nas ruas até uma alma boa se dignar ser lar de apoio, o que significa abrir um espaço em seu quintal e principalmente em seu coração,
 para ajudar um cão de porte grande.
Numa noite de frio intenso e chuva - choveu 2 meses direto em Floripa-  aquele mesmo amigo querido, Eduardo Nasi,  que sempre se mostra disposto a ajudar, o viu na rua, em  frente de uma pizzaria! Me ligou na mesma hora. Estava um frio de gelar os ossos e ele na companhia de uma cadelinha de porte pequeno, no cio,  brigando com quem se aproximasse dela. Resolvi naquele instante que ia parar de tentar contato com quaisquer ex-adotantes e assumi-lo de de vez mas tinha que, primeiro, verificar ONDE o colocaria. Eduardo pesquisou em volta. A cadelinha tinha dono mas, de qualquer maneira, teriamos que castrar ambos! Em 2 dias de "apelos mil`s", KIM foi levado para ser castrado e dali para um canil e da  cadelinha,  a família se encarregou de cuidar e castrar.
Em 15 dias no canil pago e de campanhas no Face Book, o perfil Adote um Patudo, da Poliana, conseguiu uma raridade: um LAR DE APOIO para o KIM, na casa de dois anjos a quem serei eternamente agradecida por cuidarem dele  até a data que foi adotado. Eles foram junto entrega-lo, uma vez que o educaram. Na foto abaixo, a adotante com o casal (Lia e Marcelo) que foi a benção na vida do KIM e na minha, como protetora, uma vez que eles ajudaram de todas as maneiras para que o KIM tivesse uma boa visibilidade, fotos, filmes etc,  para ser adotado. Espero que o KIM continue com a estrela que tem HOJE, de felicidade e fartura, e que nunca mais conheça o descaso, a indiferença, o abandono, o frio,  a fome e nunca mais eu precise me preocupar com ele, pois penso que escolhi bem o casal que o adotou,
dessa segunda vez!
Me perdoe KIM por ser tão ingenua, as vezes, e acreditar em algumas pessoas que não valem a confiança depositada nelas! Desta vez você será feliz!
Algumas fotos deste anjo lindo e imenso, que tanta preocupação já causou a mim e a alguns amigos. A todos voces, meu muito obrigada e contem comigo.
Seguimos ....