domingo, 31 de julho de 2011

Animais também precisam de ajuda!

URGENTE: Abrigue estas cadelinhas?

Muito se fala em Lar de Apoio.
Neste link   http://www.ficacaomigo.com/p/seja-um-lar-de-apoio.html  há a explicação de  qual seria a sua participação, dando uma chance a estas e outros cães.
Insisto pela linda MEL, cujo porte  é médio/grande pois amanhã, pela falta de local para abrigá-la,  será devolvida na mesma pracinha de onde foi retirada para ser castrada, há 10 dias. Já está recuperada e a protetora que a acolheu, para castrar, não tem como ficar com ela pois esta semana castrou outras tantas e não tem como mantê-la.

 Esta bebezinha com sua mammy,  também. Se vc puder ajudá-las, ligue 99619169 que a(s) levo amanhã. O caso é URGENTE. Estas 3 cadelinhas estao realmente na rua! Vc pode ajudar até serem adotadas? Obrigada

sábado, 30 de julho de 2011

Mamãe e filhote precisando de um LAR DE APOIO ou ADOTANTES

Por favor, veja se vc consegue arrumar um lugar na sua casa para proteger
essas duas fêmeas que daqui a pouco podem gerar outros tantos?  Elas estão num terreno do bairro Aririú, da Palhoça/SC sob responsabilidade de uma moça que já tem vários cães e não tem como acolhê-las.  A castração  já está garantida. Obrigada. 




quinta-feira, 28 de julho de 2011

RESGATADA em 27/07, EMILY, PARA ADOÇÃO

Nesta data recebi muitos telefonemas, a maioria pedido de ajuda ou orientação. Me ligaram avisando que abandonaram uma  ninhada no Saco Grande, como se eu tivesse algum pó mágico que me transformasse em muitas, com muitos lares, bastante espaço e ração ilimitada.
No meio da tarde acabei resgatando  esta cadelinha no Bairro Rio Vermelho.
Já levei para banho e está internada na clínica Bicho de Praia dos Ingleses. Mas, ainda bem, por ser pequenininha, consegui um lar de apoio!! Bençãos das bençãos na vida de um protetor que mora em apto!
Ela  tem apenas 4 kilos, peludinha,  linda e carismática!
Pode ter fugido, mas estava com bicho de pé, pulgas e totalmente desnorteada.
Agora está a salvo, será castrada oportunamente, mas já pode ser divulgada para adoção.
Se mais pessoas ficassem com eles até doar, ajudassem pagando vacinas e castração etc,  a gente podia resgatar mais.
Vejam os links sobre como ajudar e sobre lar de apoio, ao lado, no mapa do site.
Obrigada.




quarta-feira, 27 de julho de 2011

10 PEDIDOS DE UM CÃO

01) Minha vida dura apenas uma parte de sua vida; qualquer separação de você significa sofrimento para mim. Pense muito nisso antes de me adotar. 

02) Tenha paciência e me dê um tempo para que eu possa compreender o que você espera de mim. Você também nem sempre entende imediatamente as coisas. 

03) Deposite sua confiança em mim, pois eu vivo disso e vou compensá-lo por isso mais do que ninguém. 

04) Nunca guarde rancor de mim se eu aprontar alguma, e não me prenda "de castigo". Você tem outros amigos além de mim, tem seu trabalho e seu lazer - mas eu só tenho você. 

05) Converse comigo. Eu não entendo todas as palavras, mas me faz bem ouvir sua voz falando só para mim. 

06) Pense bem como você, seus amigos e visitas me tratam. Eu jamais esqueço. 

07) Também pense, quando você quiser me bater, que eu poderia facilmente quebrar os ossos da mão que me machuca, mas que eu não lanço mão deste recurso. 

08) Se alguma vez você não estiver satisfeito comigo, porque estou de mau humor, preguiçoso ou desobediente, imagina que talvez a minha comida não esteja me fazendo bem ou que tenho estado muito exposto ao sol, ou que meu coração já está um pouco cansado e fraco. 

09) Por favor, tenha compreensão comigo quando eu envelhecer. Não pense logo em me abandonar para adotar um cãozinho novo e bonitinho. Você também envelhece. 

10) E quando chegar meu último e mais difícil momento fique comigo. Não diga "não posso ver isso". Com sua presença tudo fica mais fácil para mim. A fidelidade de toda a minha vida deveria compensar este momento de dor.

AUTOR:  Ulrich Klever, zoólogo, "The Complete Book of Dog Care". Tradução: Christa Kurmeier

terça-feira, 26 de julho de 2011

FEIRA DE FILHOTES, CONHEÇA ESSA REALIDADE

Embora o texto seja de um protetor de Florianópolis/SC, a realidade é a mesma em todo território nacional. Não comercialize vidas.    



A VERDADE SOBRE A CRIAÇÃO DE FILHOTES PARA VENDA EM FLORIANÓPOLIS   (por Nelson Bronca)

Numa medida acertada, tomada pela Prefeitura de Florianópolis, as Pet Shops do município foram proibidas de comercializar filhotes de animais de estimação.
Entretanto essa comercialização continua existindo, seja por ação direta de algumas pets, que “encaminham” os interessados aos “criadores”, (e, lógico, ficando com boa parte do valor da venda) ou por outros artifícios, como anúncios em jornais, etc.. Todas, portanto, ao arrepio da lei. Todas ilegais e usando de má-fé.
Mas todas também com um único propósito: manter viva essa “fábrica de filhotes”, que nada mais é do que uma indescritível sucessão de maus tratos, crueldades e sofrimentos para os animais.
O objetivo único de arriscar-se a esse submundo é exclusivamente abocanhar o enorme lucro que essa “indústria” proporciona, e que só continua existindo graças ao desconhecimento do grande público sobre como elas funcionam.
Quem vê um lindo filhote exposto numa vitrine para venda não imagina a quanta maldade e sofrimento muitos animais foram submetidos até aquele filhote chegar ali.
O que poucos sabem é o submundo cruel que existe por trás desses “criadores”.
Para quem olha na vitrine, aquele filhote fofo desperta os melhores sentimentos, mas para os criadores eles são apenas um “produto” a ser “colhido e comercializado”, como é um repolho para um agricultor. Se estivesse com algum defeito, teria sido sumariamente descartado antes de chegar lá.
O que existe é um grupo de pessoas lucrando à custa dos animais, cujas condições em que vivem são guiadas por um único objetivo: obter o maior lucro possível.
Aos criadores somente interessa uma fêmea “boa reprodutora”. Cio após cio, sem nenhum repouso, ela é cruzada para gerar novos filhotes.
Eles não têm nenhuma preocupação por estar cruzando pai e filha, irmão e irmã, mãe e filho.
O cruzamento consangüíneo é habito comum entre os criadores de filhotes, e essa é uma das razões pelas quais os chamados cães “de raça” (denominação absolutamente inadequada) são os que mais apresentam problemas de saúde, fragilidades físicas e doenças genéticas, algumas só se manifestando e causando muito sofrimento depois que se tornam adultos.
Mesmo quando criadas em sítios enormes, as fêmeas “reprodutoras” jamais conseguem viver uma só vez a experiência que tanto alegra um cão, que é pisar e correr num espaço amplo.
Ainda que tivessem a oportunidade, a maioria sequer teria condições de caminhar, muito menos correr em um local espaçoso ou num gramado, tal a fragilidade dos seus músculos atrofiados, depois de uma vida inteira presas em gaiolas imundas, apertadas e fétidas, ali mantidas com a única missão que preocupa o seu dono: proporcionar lucros.
O máximo que conseguem de movimentos é dar a volta sobre si mesmas, dentro das gaiolas, quase sempre expostas ao frio ou calor extremos.
Sol, nem pensar.
Quando latem muito, geralmente por causa do desconforto em que vivem, são freqüentemente punidas, em alguns casos até com procedimentos para danificar suas cordas vocais, para que deixem de “perturbar”.
Quando não servem mais ao propósito do “criador”, depois de muitas vezes gerar 150 ou 200 filhotes no decorrer de sua vida fértil, cheias de tumores ou outras deficiências causadas pelas gestações continuadas durante anos, sem qualquer intervalo, são sacrificadas, abandonadas nas ruas ou “doadas” quase sempre para quem não tem condições de lhes prestar atendimento.
Da mesma maneira que uma árvore frutífera é derrubada quando não produz mais frutos.
Ou como se descarta o bagaço de uma laranja da qual já se extraiu o suco.
Provavelmente poucas fêmeas têm a oportunidade de conhecer um veterinário numa consulta em sua vida inteira: se adoecem, já começam a dar “prejuízos”, e aí são descartadas e substituídas por outras mais “jovens e sadias”.
Como apenas um macho é suficiente para cruzar até 20 fêmeas férteis, as fêmeas que nascem são mais valorizadas, pois logo podem se converter em fonte de lucro ainda maior.
É só a procura por filhotes crescer para que novas fêmeas sejam postas a reproduzir, cruzando com pais ou irmãos, repetindo todo esse ciclo cruel até o fim de sua vida.
Por isso os machos sempre são mais baratos na hora de comprar.
Quando alguém passa a ter um animal, a primeira providência é dar-lhe um nome carinhoso.
Entre os criadores, mesmo estando com eles muitos e muitos anos, o animal geralmente não tem nome.
Quando nascem filhotes na ninhada com algum defeito congênito, ou mesmo com leves imperfeições, não sendo “vendável”, ele é descartado imediatamente (leia-se “morto”), porque “só vai dar prejuízo”.

ASSIM FUNCIONA O MUNDO DE ‘CRIADORES’ DE FILHOTES PARA VENDA!

Embora esse texto mencione uma situação específica, seu conteúdo se aplica a qualquer lugar onde haja criação e venda de filhotes.
A referencia ao município de Florianópolis é colocada como exemplo de que o poder público pode e deve começar a interferir na questão.
Obviamente que apenas criar uma lei proibindo a venda de filhotes não resolve esse problema. Somente a rigorosa fiscalização para o seu cumprimento e a severa repressão das ações que tentam burlá-la é que trará resultados concretos. TODAS AS PESSOAS QUE LUTAM PELA PROTEÇÃO ANIMAL DEVEM INFORMAR E ALERTAR A POPULAÇÃO SOBRE O SOFRIMENTO QUE ESTÁ INFLIGINDO AOS ANIMAIS QUANDO COMPRA UM FILHOTE


segunda-feira, 25 de julho de 2011

LARES DE APOIO = saiba o que é e o que esperamos de você.

Uma grande ajuda que as pessoas podem dar para aquelas que vivem resgatando animais de rua é cuidar deles, em sua casa, no seu espaço, para um determinado protetor, até que seja efetivada a adoção, por uma família.
Quem faz os resgates já gasta com transporte, vermífugo, vacina, castração, ração etc, além do seu tempo.
Pagar ho$pedagens acaba sendo o maior dos gastos pois  nunca se sabe quanto tempo pode levar, até o animal achar uma família.
Quem é protetor dificilmente tem, em sua casa, ou mesmo apto, menos de 2 cães, ou gatos, ou coelhos, entre outros.
A aflição da maioria na hora de pegar um animal das ruas,  ou de maus tratos, é: ONDE colocar o pobre anjo?
Então, se você mora em apto e  não tem animais, ou  numa casa, com quintal,  poderia ajudar cuidando de 1 deles para que possamos recolher e ajudar outros. Que tal?
Qual seria seu gasto?  
A sua dedicação! 
No meu caso, levo a ração, cobertinha e até a casinha, se precisar! Claro que se você puder dar a ração, ótimo! mas o LOCAL é o principal.
Inscreva-se como Lar de Apoio pelo email ficacaomigo@gmail.com
E voce ainda pode dizer quanto tempo poderia ficar com  o animal.....1 mes, 2meses, 1 semana, voce decide mas, cumpra seu prazo, por favor, para que a gente não se veja, de uma hora para outra, sem ter ONDE deixar o bichinho.....
Muito obrigada e aguardo seu contato !

domingo, 24 de julho de 2011

Leia esta história de saudade....qtos acabam fugindo para voltar para seus donos e nunca os acham?

Quanta saudade ele deve ter sentido...eles nunca nos abandonam!!!
Reportagem do site: http://g1.globo.com

CACHORRO PERCORRE 60 KM E, APÓS 1 ANO E MEIO, VOLTA AO ANTIGO LAR
Ele tinha sido doado para uma família, mas voltou para seus antigos donos.
Vira-lata fugiu por portão que estava aberto e foi de franca para jeriquara.

Um vira-lata chamado Fred, que havia sido doado para uma família de Franca, a 400 km de São Paulo, percorreu 60 km durante um ano e meio e retornou ao seu antigo lar, em Jeriquara, também no interior da capital.
Assim que foi doado, Fred percebeu que aquela não era sua casa. Nem a comida farta e a companhia de outro cão o agradaram e, em apenas três dias, pulou a grade e fugiu pelo portão que estava aberto. Ninguém teve notícias do vira-lata durante um ano e meio, até que ele reapareceu na sua antiga casa.
 Segundo a professora Patrocínia Silva Soares, dona do cão, todos ficaram emocionados. “Ele colocou as patinhas no muro e ficou olhando pra dentro de casa assim que chegou. Quando eu abri o portão sem falar o nome dele e ele entrou, o reconheci. As crianças ficaram sem acreditar, emocionadas”, disse.
O cão está mais magro, mas, apesar de fraco, continua esperto e já chegou a fugir de casa novamente, mas sempre volta.
Para o veterinário Daniel Paulino Júnior, uma das explicações para o retorno de Fred é que o animal tem uma memória mais avançada do que os humanos para sons e cheiros. “Ele deve ter sido alimentado de restos de comida durante todo o tempo que ficou na rua. Também deve ter passado frio e sede. Na verdade, ele sobreviveu só para encontrar sua família”.

sábado, 23 de julho de 2011

ANJOS...DE QUATRO PATAS!

Existem pessoas que não gostam de cães.
Estas, com certeza, nunca tiveram em sua vida um amigo de quatro patas.
Ou, se tiveram, nunca olharam dentro daqueles olhos para perceber quem estava ali.
Um cão é um anjo que vem ao mundo ensinar amor.
Quem mais pode dar amor incondicional,
Amizade sem pedir nada em troca,
Afeição sem esperar retorno,
Proteção sem ganhar nada,
Fidelidade 24 h por dia????
 
Ah, não me venham com essa de que os pais fazem isso,
porque os pais são humanos, se irritam, se afastam.
Um cão não se afasta mesmo quando você o agride,
Ele retorna cabisbaixo, pedindo desculpas por algo que talvez não fez
Lambendo suas mãos a suplicar pedão.
 
Alguns anjos não possuem asas,
Possuem quatro patas, um corpo peludo, nariz de bolinha, orelhas de atenção, olhar de aflição e carência.
Apesar dessa aparência,
São tão anjos quanto os outros (aqueles com asas) e se dedicam aos seus humanos tanto quanto qualquer anjo costuma dedicar-se.
 
Que bom seria se todos os humanos pudessem ver a humanidade perfeita de um cão!
Desconheço a autoria

quinta-feira, 21 de julho de 2011

REGRA NÚMERO 1 DA PROTEÇÃO ANIMAL

Todo dia novas pessoas entram na Proteção Animal (que bom!) e ajudam bastante nos resgates dos animais que ainda são MUITOS pois se repruduzem 100 vezes mais que nós, humanos. Muita gente faz um trabalho lindo fora das redes sociais também e isso é ótimo! Só acredito que deveríamos ter os mesmos procedimentos e rigor na adoção (DOAR COM TERMO DE RESPONSABILIDADE e, de preferência, castrados), pelo bem dos nossos anjos com asas nas orelhas. Quantos se perderam antes de serem castrados e se somam aos abandonados? Hoje evoluímos MUITO com as divulgações! Que os novos protetores sejam bem vindos e que nos ensinem também. Este texto da Jane deveria ser lido por todos e divulgado! Obrigada por divulgar!


Quem doa animais tem que SE COMPROMETER COM A CASTRAÇÃO do animal doado, porque não adiantará nada salvar a vida de um bichinho se depois ele vai gerar milhares, que ficarão abandonados.
Tem que ser tarefa DE QUEM DOA providenciar a castração, seja através da prefeitura, seja em clinicas com preços sociais. Se o adotante puder pagar, ótimo. Agende você mesmo a castração em uma clínica que faz a preço social e acompanhe o caso.
Falo isso por experiência de quem já doou muitos animais.

Mesmo quem tem condições financeiras, dificilmente leva, espontaneamente, o animal para ser castrado. E os motivos são diversos: “pãodurice”; acham que é desnecessário; que o vão ter para quem dar os filhotes; que adotou macho e não precisa castrar etc.

Hoje em dia há veterinários especialistas em castração que realizam a cirurgia em filhotes, tanto de cães como de gatos, a partir de 2 meses de idade. JÁ DOE CASTRADO, pois caso o adotante não seja exatamente tudo o que você esperava para o animalzinho que você doou e se desfaça dele ou o abandone, pelo menos ele não ficará nas ruas procriando e tem mais chances de sobreviver.

Caso você doe uma animal ainda bebê, que não pôde ser castrado, deixe expresso no Termo de Adoção que o adotante é OBRIGADO a entregar o animal para ser castrado, gratuitamente, 1 mês ou 2 meses depois.

Já desfiz adoção de animal, porque o adotante não queria que o animal fosse castrado. Isso ocorre muito em relação aos cães machos, pois os donos, desinformados, acham o cão castrado não será bravo suficiente, não fará guarda.

Quem já viu, como eu, machos atropelados, machucados por briga, queimados com água fervendo, envenenados e até empalados, porque entraram num quintal alheio para namorar com uma cachorrinha no cio, sabe como é importante a castração, TAMBÉM, DOS MACHOS.

Insisto: se o animal tiver mais de 2 meses, SÓ O DOE DEPOIS DE CASTRADO, mesmo macho, porque o adotante pode ter uma fêmea não-castrada..

NÃO ESPEREM QUE OS ADOTANTES CASTREM, porque a maioria NÃO VAI FAZER ISSO. É mais cômodo jogar fora a cachorrinha ou gatinha que adotaram, junto com a ninhada que deixarem nascer, e adotar outro, afinal, há excesso de animais procurando um lar. É comum ficarem com um machinho da ninhada e abandonarem a mãe (que foi adotada e o doador não castrou) junto com restante da ninhada.

Tenha cuidado redobrado se o animal doado tiver raça. NÃO CONFIE, mesmo que conheça o adotante, de que ele irá entregar o animal de raça para castrar. Já vi caso de um protetor que doou uma cadelinha de raça, sem castrar, para um veterinário. Hoje em dia essa cadelinha virou matriz e o “adotante” virou explorador da raça, tirando cria do animal adotado para vender. Se quem o doou tivesse castrado, isso não aconteceria.
Na minha opinião, esta deve ser a REGRA Nº 1 DOS PROTETORES.  
Jane Maschio








quarta-feira, 20 de julho de 2011

Que tal ser LAR DE APOIO ou adotar a linda MEL ?


Esta cadelinha é moradora de  uma pracinha de Florianópolis.
Hoje uma protetora a levou para castrar mas daqui há 10 dias, depois do pós operatório, ela não tem para onde ir pois as ho$$$pedagens e o CCZ estão lotados de cães e ela é grande, tem 18 kilos. 
É uma cadela hiper dócil, medrosa, amiga e muito linda. 
Se você puder ficar com ela até ser adotada, ligue (48) 9961.9169, a tarde.


Em 1/08 Mel conseguiu Lar de Apoio! Obrigada a todos que divulgaram.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

domingo, 17 de julho de 2011

Mimosa Mima - Uma FILA BRASILEIRA GIGANTE

A História da Mima pode ser a história de muitos cães de raça, ou não, abandonados quando mais precisariam de seus tutores: na velhice!

Sou uma FILA BRASILEIRA PURA, muito sofrida. Fui resgatada em março de 2008 da rua, na chuva, abandonada, magra, chorando em frente a uma igreja, onde fiquei dias e nenhum cristão me amparou,  até uma protetora passar por lá e me levar para uma hospedagem PAGA, pois não existe um local mágico para abrigar tantos abandonados como eu.

Seis meses depois, em outubro,  fui adotada por UMA FAMÍLIA LINDA E QUERIDA que protegi e cuidei até 1/05/2009, quando meu coração, já velho e cansado, pediu trégua.

Minha história: Em abril de 2008 eu vagava pelo estreito, um bairro de Florianópolis/SC, na chuva, no frio e chorava muito, uivava o tempo todo. Quase morri de fome e desespero. Ninguém me queria e tinham medo de mim. Fiquei assim uns 15 dias, em frente a igreja onde me jogaram mas nenhum fiel teve compaixão.....Eu estava magrinha e tinha um tumor na mama.
Algumas pessoas ligaram para ONG`s de proteção animal mas, vocês sabem, ninguém recolhe, ainda mais um ser grande como eu......e assim eu fui ficando lá, todos sabiam (da ONG`s) que eu estava lá mas ninguém podia fazer nada......até que minha protetora resolveu me resgatar e pagar uma hospedagem para mim, com seus próprios recursos. 
Recebeu ajuda de 40 dias de hospedagem e eu fiquei meses e fiz várias cirurgias.....Pelo menos tinha casinha, atenção e comida.
Só que minha protetora ajudava outros e eu também queria um lar de verdade.
Me abandonaram depois de terem tirado muitas crias minhas e, decerto, vendido para ganhar dinheiro. Daí, quando fiquei velha e com problemas de saúde, me jogaram fora e eu fiquei chorando na chuva e no frio.
Até hoje eu fico melancólica e choro quando ouço alguém assobiar.....lembro quando eu tinha um dono....EU com certeza o amava e protegia, diferente do que fez comigo. Bem, depois de me resgatarem fui tratada de cinomose e irliquiose, operada de um tumor nas mamas, castrada e depois, mais duas cirurgias nos olhos, Fiquei linda! Velha mas perfeita, só que o estrago no meu coração já estava feito..

Dia 11/10/2008, NUM SÁBADO CHUVOSO, fui adotada pela família da Patrícia Soliani, do Porto da Lagoa, que cuidaram de mim nos 6 meses que ainda tive de vida.

Com a ajuda de São Francisco, fui muito amada e muito feliz !

Parti deste mundo, por insuficiência cardíaca, numa sexta nublada, dia 1/05/2009, assistida por minhas protetoras (Jane e Annita) e minha família.

Mas consegui afinal,  ser feliz, embora, com certeza, cheia de saudade....

                                                         Agradecimentos:

À minha família, minha aumiguinha, a pinscher Millie (folgada, como podem ver nas fotos) às protetoras Georgete Nilo, Jane Maccio e Annita Petry, que cuidaram de mim, e a SÃO FRANCISCO, por eu ter tido a sorte de encontrar, no final de minha vida, pessoas que não ficaram indiferentes ao meu sofrimento!




quinta-feira, 14 de julho de 2011

De uma vez por todas, a sexualidade dos animais NÃO é como a nossa! MUITOS machos se perdem ou morrem em brigas quando não castrados. CASTRE!!!! NÃO há lares para todos!

Passe a diante essa informação!
Artigo sobre castração. Fonte citada logo abaixo.
Castração precoce, castração pré-pubescente, castração pediátrica, todas estas expressões se referem à mesma coisa, ou seja, à castração de nossos cães e gatos antes do período normalmente recomendado e mais jovens do que se aceitaria. Há anos os veterinários decidiram que o melhor momento para se castrar uma fêmea era logo depois que ela tivesse cria, pois era evidente que a maternidade fazia com que as fêmeas amadurecessem. Como os machos não dão à luz, eles não se adequavam a este requisito e, conseqüentemente, eram ignorados neste aspecto. Muito provavelmente por não se tratar de uma “coisa de macho”. Mais tarde, descobrimos que, se as cadelas fossem castradas antes de terem cria, a incidência de tumores mamários cairia a zero e a recomendação passou a ser “castre-as um pouco antes do seu primeiro cio”. Ao que os seus donos perguntaram: “Mas quando ela fica no cio pela primeira vez?” E, a partir de então, a idade em que as cadelas deveriam ser castradas passou a ser, em média, de “aproximadamente seis meses de vida”. 

Repetindo, como os machos não dão cria, os seus donos os antropoformizavam e relutavam em castrá-los. “Por Deus doutor, será que o senhor quer impedi-los de se divertir?” Este tipo de comentário ainda é comum. Geralmente eu pergunto a quem o faz se já presenciou uma cópula canina. É bastante desconfortável e não parece ser nem um pouco divertida para mim. A maioria dos cães era castrada para minimizar ou acabar de vez com a sua agressividade, pois o seu papel como reprodutores não era considerado como um problema. Afinal, se a cadela do vizinho estivesse no cio, bastaria mantê-la trancada. 

Pois bem, hoje os tempos são outros e mudamos o nosso modo de proceder. Filhotes de cães e gatos abandonados estavam inundando o planeta e algo deveria ser feito. O clamor público passou a ser “castre os seus cães e gatos”. Mas, isoladamente, a castração não tem sido suficiente para acabar com a superpopulação de animais de estimação, pois os abrigos para animais continuam lotados. E apesar dos abrigos serem obrigados a deixar um depósito para cobrir os custos da castração, entre cinqüenta e sessenta por cento de seus animais adotados não eram castrados e passaram a contribuir com o problema da superpopulação. 

Discretamente, nos últimos vinte e cinco a trinta anos, uns poucos abrigos mais avançados começaram a implantar programas de esterilização precoce e passaram a colher resultados positivos. Se os animais fossem castrados antes de deixarem o abrigo, eles deixavam de contribuir para o problema da superpopulação. Filhotes de cães e de gatos passaram a ser castrados com apenas seis a oito semanas de vida. O desenvolvimento de novos anestésicos e de novas técnicas cirúrgicas fez com que este procedimento passasse a ser tão ou até mais seguro do que qualquer outro que costuma ser recomendável até os seis meses de vida. Os pacientes mais jovens se recuperam mais rapidamente e têm uma incidência menor de complicações cirúrgicas e pós-cirúrgicas do que os seus pares mais velhos, pois possuem nenhuma ou muito pouca gordura corporal para sustentá-los, a incisão é menor, a duração da cirurgia é reduzida e a sua recuperação é bastante breve. 

As pesquisas disponíveis sobre os efeitos físicos e comportamentais de curto e de longo prazo da castração pré-pubescente em cães e gatos demonstram a ausência de qualquer resultado adverso. Com base nestas informações, a American Humane Association (Associação Humanitária Americana) apóia esta prática como uma solução viável para a diminuição da superpopulação de animais de estimação e da tragédia decorrente da morte de muitos deles. A prática da esterilização precoce também é endossada pela American Veterinary Medical Association (Associação Veterinária Americana), pela American Animal Hospital Association (Associação de Clínicas Veterinárias Americana) e pela California Veterinary Medical Association (Associação Veterinária da Califórnia). 

Pessoalmente, eu endosso este programa entusiasticamente. Tenho participado ativamente do Programa de Castração Precoce desde 1984 e o realizei em aproximadamente mil animais. Não constatamos nenhum resultado negativo. Muito pelo contrário: os seus donos geralmente consideram estes animais como os melhores que já tiveram. E não perdemos um único animal em conseqüência deste procedimento! Sete dos dezesseis filhotes de cães-lobo irlandeses de nossa última ninhada e dois dos nove da ninhada anterior a essa foram castrados antes de serem encaminhados para as suas novas casas com dez meses de vida. A primeira ninhada já tem 28 meses e segunda, 18 meses, e nenhum resultado negativo foi observado até agora. 

Existe a preocupação de que este procedimento precoce possa prejudicar o crescimento dos animais, mas, na verdade, as pesquisas demonstram que os cães se tornam um pouco maiores do que seriam caso não fossem castrados. Este fato se explica pela tendência dos ossos mais compridos de crescer por um período ligeiramente mais longo. Como este crescimento adicional não é causado por um crescimento mais acelerado, mas sim por um crescimento mais prolongado, isso significa que este fato é positivo para a nossa raça de gigantes. É sabido que, quando o processo de crescimento se desacelera em um período de tempo maior, a densidade e a força dos ossos aumentam. 

Há anos, criadores conscienciosos têm vendido filhotes de cães de raça sem o registro oficial e/ou com um contrato impedindo a sua procriação ou exigindo a sua castração para evitar filhotes indesejados. Mas estes métodos nem sempre foram efetivos. Cães que jamais deveriam ter nascido acabaram nascendo. Já a castração pediátrica é 100% segura! 

Recomendamos fortemente que os criadores levem em conta esta opção e a discutam com o seu próprio veterinário. 


Programa de Esterilização Precoce 
(ESP-Early Sterilization Program) por Dr. Dick Rosebrock. Artigo original pode ser lido em http://www.danesonline.com/earlyspayneuter.htm Tradução: Cláudio de Godoy

segunda-feira, 11 de julho de 2011

FAÇA VOCÊ MESMO – CAMINHAS DE PVC BARATAS E RESISTENTES

Aproveitando espaços.
Nessa foto a cama foi feita com canos de metal, pois são animais de grande porte. 
Para pequenos e médios, podem ser adaptados com PVC.
Elas são de fácil manejo,higiênicas e super resistentes.
Com canos, juntas, tela de nylon (ou lona como preferir), um pouco de talento e ela está pronta. 
Ótima para ser usada em canis, pois isola da umidade do chão, no calor deixa passar o ar, no inverno é só colocar uma mantinha e já fica quentinha. 

Diferente dos estrados, é fácil de lavar, desinfetar e por ser muito leve, é facilmente removível.
Também ideal para animais com problema de incontinência urinária.