domingo, 31 de agosto de 2014

Nemo, Fiona e Serafina em DIA DA BRONCA!

Mesmo  com 11 anos, meu Nemo é um cão a parte! Quando chega visita ele faz xixi por tudo. É castrado, claro! Late sem parar e, muitas vezes, faz cocô na sala ou na porta de entrada do apto... só vomita EM CIMA das caminhas, morde se encostarem nele e faz o que bem entende. Abaixo,  uma sequencia de fotos desta semana, dodia que o peguei comendo a caminha. 
Quando ele é o "culpado" ele vai virando a cara e liga o que chamamos de seu MODO INVISÍVEL. Quando não é, ele me encara e olha para quem foi. Sempre! Cheguei falando 
Ai ai ai, que que é isso, hein, Nemo? Que feio! 
 Sorte que eu estava com a câmera na mão! Adoro meus filhos caninos!












  

sábado, 30 de agosto de 2014

Parabéns ao Corpo de Bombeiros de Joaçaba!

Ainda tem muita gente boa no mundo!

Resgate de cadela que foi arrastada por correnteza, em Joaçaba/Santa Catarina

O animal da raça São Bernardo, que pesa 100 quilos, ficou ilhado por cerca de quatro horas

Uma cadela que estava ilhada no Rio do Peixe foi resgatada pelo Corpo de Bombeiros de Joaçaba, na tarde de segunda-feira (9). O animal da raça São Bernardo, que pesa 100 quilos, foi arrastado pela forte correnteza e ficou preso em alguns galhos. O trabalho dos bombeiros durou cerca de uma hora.

Divulgação/Rádio Catarinense/ND Oeste/ O resgate aconteceu na tarde de segunda-feira (9//08)
 Segundo os proprietários do animal, que moram no bairro Santo Antônio, em Herval d’Oeste, a cadela é dócil e gosta de brincar com capivaras que saem do rio e ficam no pátio da residência. Mas, no começo da tarde de ontem, por volta das 13h30, quando as capivaras voltaram para a água, a cadela foi atrás e acabou sendo arrastada pela correnteza.
O animal foi levado pelas águas por cerca de dois quilômetros e não conseguiu mais retornar. Moradores das proximidades ouviram os latidos da cadela e acionaram os bombeiros. Dois mergulhadores foram ao local e trabalharam no resgate do animal, utilizando coletes salva-vidas e cordas.
Segundo os bombeiros, o trabalho de resgate foi difícil, principalmente por conta do peso do animal e devido à forte correnteza. Por volta das 17h, a cadela foi retirada da água sem nenhum ferimento. Os donos acompanharam o resgate do animal. 
Divulgação/Rádio Catarinense/ND Oeste. O animal foi resgatado sem nenhum ferimento



quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Tem certeza que seu cão não pode morar em apartamento? LEIA!

Belíssimo e verdadeiro texto. Obrigada Sylvia por permitir a divulgação e me 
mandar as lindas fotos de vocês. Parabéns!

" Adotei o Chico quando ele tinha apenas 45 dias e, como acontece com alguma frequência com cães SRD, ele cresceu bem mais do que esperávamos!  Hoje o Chico tem 1 ano e 3 meses e pesa cerca de 20kg! Moro em um apartamento de tamanho médio com o meu marido e o tamanho do Chico nunca nos criou nenhum problema. Por isso fico muito intrigada quando ouço de alguém que só poderia ter um cão bem pequenininho porque mora em um apartamento. Para tentar entender melhor o tal problema de "espaço", pedi ajuda ao Chico para fazer uma pequena experiência e comecei a medir o espaço que o Chico de fato ocupa em nossa casa! rs




Primeiro é preciso esclarecer que o Chico não tem restrições de espaço no nosso apartamento. Quando não estamos em casa, o Chico fica deitado na cozinha perto dos seus potes de água e comida, nestes momentos ele ocupa, junto com seus potes (rs), uma área total de 80cm x 60cm. Quando estamos em casa ficamos a maior parte do tempo no escritório e ele fica sempre deitado perto de nós no sofá, ocupando um dos assentos do sofá (cerca de 50cm x 70cm). Quando vamos dormir, o Chico normalmente dorme conosco na cama ou deita na caminha dele ao lado da nossa cama. A caminha dele tem 80cm de diâmetro. Por fim, deixamos um tapete higiênico na área de serviço, onde ele faz as suas necessidades. O tapete mede 60cm x 80cm. Usamos o tapete para não ter a obrigação de levar o Chico todos os dias na rua, mas sempre levamos ele para passear e brincar, porque independentemente do tamanho da sua casa, os cães também necessitam passear e conhecer lugares diferentes para não ficarem entediados!
Bom, somando todas as áreas ocupadas pelo Chico (não simultaneamente é claro! rs) chegamos a 1,95m2! 
Portanto, se vc tem 2m2 livres no seu apartamento, vc pode ter um Chico! rs
Ah ... mais uma coisa: antes do Chico, nós tínhamos um poodle toy que pesava menos de 6 kg, mas ocupava exatamente o mesmo espaço no nosso apartamento! rs "  





terça-feira, 26 de agosto de 2014

Minha amadalindafofa FIONA.


Fiona foi adotada em dezembro de 2005, por mim. Na verdade eu fui lar de apoio dela, mas como ela tinhavários problemas de saúde e pele, não havia quem a adotasse.
 Cheguei a levá-la em 2 eventos de adoção. Sempre a achei linda, mas ninguém a queria. Hoje pesa 30 kilos, mas é minha bebezinha eterna, pois tem umas sequelas da cinomose.
Está sempre super alto astral 
e sim, parece uma FOCA.

Não descrimine um cão pelo tamanho. Cães grandes são amáveis, da mesma forma. 






                     

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

A importância da socialização para os cães

Acredito que saibamos muito pouco acerca do comportamento dos animais.
Por isso, sempre que encontro textos bacanas, divulgo. Boa leitura!
 
A receita para o cão perfeito

Existe uma regra de ouro na educação canina e eu vou contar com o maior prazer à vocês. Chama-se: SOCIALIZAÇÃO. Invistam em socialização!

Normalmente, as pessoas me procuram por que querem saber como melhorar a obediência de seus cães, como resolver problemas comportamentais ou como educá-los corretamente diante de determinadas situações. Mas o ideal não é trabalhar na resolução de problemas, e sim na prevenção. Uma das maneiras de agir neste sentido é socializando os cães.

Quando confrontados com situações novas, das quais não foram habituados, podem ter os mais variados sentimentos e, decorrente deles, reagir a outros cães, pessoas e variados estímulos além de não responderem adequadamente a interação humana.

Para o dia-a-dia do cão doméstico a socialização é fundamental. É através dela que eles serão preparados para viverem na sociedade humana.

Devemos ensiná-los a como se comportarem diante dos mais variados estímulos (cães, gatos, pessoas, ambientes públicos, sons, superfícies...) de forma segura e auto-controlada, e não suprimindo comportamentos indesejados como é feito no adestramento tradicional.

Quando digo: auto-controlada, refiro-me ao cão saber se controlar diante das situações e não ter que ser controlado pelos tutores ou treinador. É um controle que parte deles e não de nós.
Desde filhote o cachorro precisa ser socializado. Este processo é crucial no desenvolvimento sadio de cada indivíduo. Saber conviver com outros da sua espécie, de variados tamanhos, idades e características físicas bem como, acostumá-los a tipos variados de pessoas (estaturas, cores, vestimentas…). Sons, barulhos,  movimentos e ambientes diversos também estão inclusos na lista de socialização.

Frequentar as aulas em grupo de educação e socialização de filhotes é muito indicado, pois esta é a fase ideal para socializar um cão. Nessas aulas os tutores irão aprender a como procederem adequadamente com os seus cães. Mas é fundamental que o profissional eleito seja, de fato, qualificado e, também experiente, além de ser necessário dominar as mais modernas técnicas de educação canina, ou o estrago pode ser pior do que a ausência do processo de socialização.

No caso de cães adolescentes ou adultos, o processo é mais moroso e possui limitações referentes a evolução em grande parte dos casos, mas ainda assim é possível habituá-los a eventos do cotidiano, ensinando-os a como se comportarem adequadamente.

Por tudo isto, dediquem-se a socialização de seus cães!
Emmanuelle Moraes
Educadora Canina Positiva Especialista em Comportamento Canino
Membro da The Association For Force Free Pet Professionals
Representante nacional da Dante Dog Works - Lindsay,Ontário - CA



domingo, 24 de agosto de 2014

Parabéns TEQUILA & Clara!!!

Hoje faz 3 anos que foi adotada e eu recebi o lindo email, que colo abaixo, da adotante da lindinha. Obrigada Clara, por tudo. A foto ao lado foi no dia do resgate. A chamei de EMILY. Ela  foi abandonada no Rio Vermelho. A resgatei num dia em que estava saindo da casa da protetora Kátia Carlota. Lembro tão bem... Eu acabava de me recuperar de uma mordida no pé e, como ela se mostrou arisca, voltei na Kátia e pedi que me ajudasse a pega-la. De lá a levei num banho e tosa. A foto foi depois disso. Muito linda e querida. Mas cheia de energia - Perfeita para a Clara! Confiram as fotos!

 Eu sempre me impressiono com a diferença do olhar de um cão bem adotado. 
Eles fazem cada cara de felicidade que encanta qualquer um:
ADOTAR MUDA UM OLHAR! 





"Queridíssima Annita,
Eu não tenho palavras pra resumir o quanto eu agradeço por teres encontrado a minha pequena e confiado a mim a vidinha dela. Tequila é um serzinho muito especial que chegou na hora que mais precisei. Graças ao destino e tua confiança em mim, ela é a minha pequena. Decidi mandar esse e-mail junto às fotos, com um relato que talvez ajude mais pessoas a adotarem um animal. 
O principal motivo de eu querer adotar, foi o falecimento de minha mãe, que tornou minha casa vazia e me desmotivava muito a voltar pra ela. No aniversário do João, quando conheci a saudosa Terra, eu notei o quanto eu sentia falta do convívio com cães. Isso me fez ter certeza do que eu precisava. Então, a vinda da Tete aqui pra casa melhorou demais a energia e, ser recebida toda vez com seus enormes saltos, aquele incansável toco de rabo que, pra balançar precisa rebolar junto, tudo isso faz a volta pra casa ser muito melhor então, quando eu vi, aquele ser bagunceiro e com um certo quê de destruição, já tinha me conquistado. Como em tudo na vida, existem os prós e contras, quando eu planejo uma viagem, não é só na minha hospedagem que eu tenho que pensar, os gastos no mês aumentam, o dia encurta entre passeios, limpezas e tudo o mais, mas nada pode valer mais a pena pra mim do que ter essa companhia. 



A chegada da Tequila mudou muito a minha rotina, principalmente no início. Ela não aceitava muito bem alguns de meus amigos, gostava de destruir coisas e, sobretudo, de mostrar que ela faria o que quisesse. Nosso convívio foi melhorando gradativamente, mas só porque eu não desisti dela, sei que muitas pessoas acabam desistindo de adoções por esse início, vezes até por menos, mas, como eu já li diversas vezes, hoje minha casa é, sim, mais bagunçada do que seria se eu não tivesse cães, mas minha vida vale muito mais por causa delas.No plural, pois alguns meses depois da Tete, veio a Shisha (no sofá), da protetora Kátia Carlota Pimentel. Beijo,  Clara Meirelles"