segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Os gatos de HENRIETTE RONNER-KNIP

Alguns artistas homenageiam os animais, os eternizando em pinturas. Achei estas pinturas belíssimas. Compartilho para deleite dos olhos, tão cansados de ver sofrimento. Que a semana seja linda!




sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Minha sexta CANINA - Emily & Jade

Lembra da JADE? A mocinha que ano passado acabou perdendo uma perninha; Lembrou? Ontem a Sônia (da ho$pedagem) me ligou dizendo que ela estava com um inchaço na cara. Hoje a tarde a peguei e levei na Clínica para uma consulta. Conclusão - pode ter sido uma mordida de algum bicho, tipo abelha, pois o dente que poderia infeccionar não existe mais. Aliás, semana que vem ela fará limpeza de tártaro. Os dentes estão bem mal tratados. 
Também busquei a EMILY, que foi castrada ontem e pernoitou na Clínica. Ela é uma das fêmeas de uma ninhada que estou levando para castrar, aos poucos, além de doar ração e colocar anti pulgas nos cães, que estão lotados delas. Pecado! Abaixo, fotos das duas. A Jade se sentindo toda poderosa. Ela tem uma devoção impressionante. Reparem na alegria e na pose dela, bem diferente do medo da Emily, tadinha. Sobre a Emily ainda voltarei a falar. Por hoje, o registro das fotos. Minhas protegidas são muito fofas e queridas! Quero colocar a EMILY num Lar de Apoio até 10/12, mas é tão difícil alguém querer cuidar...


terça-feira, 23 de setembro de 2014

Melhore a relação entre os seus cães

Um texto de Emmanuelle Morais. 
"Quem é que não conhece alguém que não tenha problemas de convívio entre cães da mesma casa? Basta aumentar o grupo para aumentar os problemas também.

Tenho trabalhado em muitos casos em que o objetivo principal é melhorar a relação entre os cães e posso afirmar que na maioria dos casos os problemas são simples de resolver e decorrentes do manejo indevido por parte dos tutores.
Já está claro que, ao atribuir características humanas aos cães geramos problemas de todos os tipos, certo? Infelizmente, não há como ignorar que ao se tratar de cães devemos tratá-los como a espécie que são.
Fazer uso do argumento: "mas nunca havia tido problemas neste sentido até referido dia..." não faz sentido e deve ser abolido como desculpa.
Se tem apenas um cão as coisas são mais simples, e se lhe faltar compreensão acerca de comportamento canino (de fato), isto não vai lhe gerar problemas mais sérios do que ter que conviver com um cão mimado, mal educado e ou dependente de si, mas isto é com você. Agora, se estamos falando de dois ou mais, então terá que sair da zona de conforto e aprender sobre o assunto. Afinal, resolveu criar a espécie em questão e a partir de agora os prolemas podem ser sérios, envolvendo risco a integridade física dos animais tutelados por você.
Os cães não querem brigar entre si, eles querem conviver pacificamente inseridos em um ambiente seguro e estável. Porém, se os acessos aos recursos em sua casa não estão bem definidos, eles serão obrigados a resolver sozinhos. E sinto muito, mas cães não enviam mensagens de texto com o assunto: "DR" (discutir a relação). Cães defendem seus recursos com ameaças, e dentes.
Em minha casa os meus três cães vivem em harmonia pois o acesso aos recursos são bem definidos e sou EU quem define como eles serão acessados. Uma regra é bem clara: "Bons comportamentos dão acesso aos recursos. Os maus, não dão acesso a nada."
Nenhum cão em minha casa recebe algo se estiver ansioso ou descontrolado. Não há "choramingos", arranhões em portas, latidos ou saltos em pessoas... Aprenderam que para terem aquilo que querem precisam estar calmos. Mas o que pode ser considerado como recurso?
 Recursos são:
  • Acessos: ao interior da casa, ao seu quarto, a um sofá ou cama, a rua, a outros cães, ao carro, a estar na sala com você...
  • Objetos: brinquedos, camas...
  • Interação: com outros cães, com pessoas, treinos, brincadeiras em grupo...
  • Outros: comida, ossos, atenção, carinho, tutores, locais...
Ensinando-os a serem calmos, a respeitarem a vez do outro cão, e a fazerem abordagens controladas as pessoas, além de outros comportamentos desejados, já estará minimizando a necessidade de que algum dos cães do grupo tenha que intervir no comportamento do cão "descontrolado" para assegurar o seu acesso ao recurso em questão. 
Por exemplo: Se ao entrar no ambiente em que estão os cães um deles salta sobre você, este comportamento pode ocasionar que um dos outros cães queira defender o acesso ao recurso: VOCÊ - do cão descontrolado. Para garantir que o acesso dele (outro cão) a você seja mantido e não interrompido pelo cão "descontrolado", que pulando acaba por ficar na frente e impedir que os demais tenham acesso, uma briga pode ter início. E isto acontece muito, acredite!
Mas, se os cães foram ensinados a receber carinho estando sentado e tranquilos, bem como que não devem interromper quando estiver interagindo com um deles, aguardando calmamente a sua vez, não haverá motivos para disputas nesta situação.
Este é só um exemplo de como pode evitar que problemas aconteçam por um manejo errado. Cães ansiosos, agitados e mal educados vão causar problemas nos grupos em que estiverem inseridos e, se todos os seus cães são assim, então você está pisando em um campo minado.
Ensinar boas maneiras é uma receita de sucesso no manejo de cães. Ensine-os a estarem sentados e calmos para acessar os recursos e respeite aquilo que é do comportamento do cão. Não queira atribuir características humanas a eles, pois isto não vai resultar bem. Alimente os cães separadamente, a comida é um dos recursos mais protegidos, é vital. Chego a arrepiar toda vez que alguém me fala com muito orgulho que seus cães comem todos juntos. Na verdade, não há mérito algum nisto, e sim uma falta tremenda de responsabilidade aliada a sorte que pode acabar a toda nova refeição.
Se gostou deste texto e tem algo a contribuir com ele, me conte para que possamos discutir mais sobre este assunto.
Emmanuelle Moraes
Educadora Canina"
Acesse o Link original


segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Feliz Primavera!

Estação de cores e amores. 
Deixe um amor entrar na sua vida = ADOTE
AQUI você encontra muitos que precisam de um lar em Floripa/SC



sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Serafina em recuperação...

Nos 2 ultimos dias publiquei sobre a doença e cirurgia da Serafina. Para quem não acompanhou e quiser ler, clique aqui e AQUI. Ela está bem melhor! Hoje de manhã já havia tirado a roupa cirúrgica e o curativo. Estou de olho e de molho, junto com ela. Acho que ontem ela ficou com resquícios do anestésico até de noite, o que fez ela ter medo de qualquer contato (ver vídeo). Sair da clínica, chegar em casa, andar de carro, toda essa movimentação deve ter doído mesmo. Nunca a vi assim mas dor é dor e eles sentem, como a gente. Como tem pessoas que não veem isso, né? 
Os vídeos abaixo são de ontem, quando a acomodei na caminha, assim que chegou. Fiona estava enlouquecida, ciumenta e preocupada. As fotos são de hoje, até pegou seu solzinho diário. Passou o sufoco, ainda bem. Agradecemos os telefonemas carinhosos e energia enviada. Sempre ajuda!
Nos vídeos vocês podem ter uma ideia da minha preocupação ontem. E nas fotos de hoje, o alívio. Definitivamente, não tenho muita estrutura para doenças e tristeza.
video

video




quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Serafina pós cirurgia (foto do baço retirado)








Levei Serafina para a cirurgia às 10h e às 13h ligaram da clínica para me dizer que ela estava bem. Postei o cartaz de agradecimento, acima,  no FB. 
Fui buscá-la às 17h. Gosto que se recuperem em casa. Ela estava com muita dor e ainda está. Só levantou para comer e tomar água. Amanhã espero que ela esteja melhor pois é só chegar perto que ela geme, com medo. Não foi uma cirurgia tão simples pois o baço dela estava com 400 gramas! Para uma cadelinha de 13 kilos, é muito. 
Foi também retirado um sinal preto, estranho,  que ela tinha na barriga. Ambos foram para biópsia. Fiquei impressionada com o tamanho, numa cadelinha de porte médio! O tumor é a parte em formato de bola que está na ponta do órgão. Espero que, melhorando a imunidade, a pele dela também melhore de vez. Tô com muita dó pois a dor é visível, mesmo com dipirona, pobrezinha.



Na foto ao lado você pode ver o tamanho do baço nas mãos da veterinária. A "bola" que ela segura é o tumor, o baço mesmo, é a parte de baixo na foto. Tenho esperança (quase certeza)  que é benigno! Amanhã devo escrever sobre as doenças do BAÇO, este órgão que eu, em anos de resgate nunca havia ouvido falar, nem pegado um caso assim. Não sabia que podia complicar tanto! Ainda bem que pesquisamos muito e, por morar em apartamento, pude ver a coloração da urina dela, apenas um dos sinais. Dizer que muitos morrem disso, sem diagnóstico... Espero que sirva de exemplo para ficarmos atentos.