terça-feira, 28 de julho de 2015

Envenenamentos e ensinamentos caninos

  Texto e foto de Emmanuelle Moraes

Quando eu vi esse enorme cartaz pendurado em uma casa, parei o carro pois imaginei ser de um cão perdido e faria uma foto para ajudar a divulgar. Mas quando comecei a ler, fiquei emocionada e pude sentir a dor da família. 
Gostaria de te-los abraçado...

Eu precisava conversar sobre esse assunto aqui com vocês, e isso já faz um bom tempo. Quando passei e vi esse cartaz naquela casa, tive a certeza de que isto tinha que ser "para ontem".

Ter um cão envenenado pode ser um dos piores pesadelos que uma pessoa que ama cães pode ter. Não gosto nem de pensar sobre o assunto!

Há muito tempo, quando fiz o meu primeiro curso de adestramento (há mais de 11 anos), o meu professor me alertou de forma muito simples e direta sobre esse assunto. Na época, eu o questionava sobre o tão vendido "treinamento anti-envenenamento" para cães (o qual considero um tanto "enganoso", e vale destacar que eu nunca fiz com um cão meu, ou de um cliente), e a resposta dele foi a seguinte:

"Cuide para que seus cães não incomodem vizinhos e não deixe nada que chame a atenção exposto fora da casa (ex: bicicleta ...)."

Se "para bom entendedor basta...", eu entendi muito bem o que ele quis dizer.
Permitir que nossos cães incomodem os moradores próximos a nossa residência é um dos maiores problemas que podemos arranjar, seja em uma casa ou apartamento, e o perigo pode morar ao lado. 

Nem mesmo quem gosta de cachorro consegue viver com indivíduos descontrolados, e ou que latem excessivamente o dia inteiro. Latidos excessivos, dia e noite próximos a casa de alguém podem "tirar do sério" até mesmo a mais equilibrada das pessoas. Mas, e as que não são? Nunca sabemos quem temos como vizinhos ou moradores próximos, e a melhor forma de evitar uma tragédia dessas é ter a certeza de que estamos fazendo a nossa parte como tutores de cães, educando-os. Não é mesmo?

Gostaria de destacar alguns pontos sobre o assunto que considero que possam gerar incômodos na vizinhança e também com pessoas que frequentam a região, devendo ser evitados para minimizar as chances de ter um cão envenenado.

Jamais deixe o cão sair para "dar uma voltinha" sozinho!

Deixar um cão sair à rua sozinho serve para uma porção de coisas, entre elas: 
  • economizar tempo e energia do tutor (irresponsável), 
  • possibilitar que o cão revire lixo alheio, 
  • possibilitar que seu cão seja atropelado e provoque acidentes com automóveis,
  • contribuir para o aumento de cães abandonados oriundos de crias indesejadas, e também que pegue doenças,
  • possibilitar que o cão agrida pessoas ...

Cães soltos na rua costumam se envolver em brigas com outros cães

Cães que ficam soltos na rua costumam ir brigar nos portões das casas, gerando incômodos de todos os tipos, entre eles: problemas de agressão redirecionada, reatividade e aumento dos latidos dos cães residentes.
Como costumam definir territórios, também podem protege-los com agressividade, atacando pessoas, motoqueiros e cães que passeiam devidamente presos a guia

Não permita, mesmo na guia, que o seu cão vá brigar nos portões das casas durante o passeio

Mesmo quando passeia com o seu cão devidamente preso a guia, jamais permita que ele brigue nos portões das casas. Isto também provoca a reatividade e agressividade no seu cão. Mantenha a guia curta ao passar pela residencia de outras pessoas e cuide do comportamento daquele que é sua responsabilidade!

Problemas enfrentados por vizinhos de cães sem educação

Para as pessoas que são responsáveis, que cuidam bem de seus cães e os mantém devidamente protegidos dentro de casa, é impossível mante-los quietos se os cães de um vizinho latem excessivamente e se ainda costumam brigar nos portões. Isto provoca e, consequentemente, aumenta a reatividade dos cães residentes. 

Por ironia do destino estou passando por um problema desses. (Muitos cães dentro das casas vizinhas. Pouco ou nenhum estímulos e zero% de educação. Os cães latem para tudo! Latem para um carro, caminhão, pessoa, mosquito, para o arco-íris ...). 
E por mais que os meus foram educados e socializados, comecei a ter problemas com reatividade com uma das minhas cadelas após incontáveis brigas no portão com os cães que também saem da casa deles e vem brigar com as minhas nos portões. Enquanto estou em casa consigo direcionar a situação, embora preferisse estar descansando no meu "Lar doce lar" ou fazendo qualquer outra coisa. Mas e quando não estou em casa, quando estou trabalhando, por exemplo? Como controlar a situação? Como direcionar o comportamento dos meus cães? Muito complicado!
Assim como eu (e, nunca havia passado por isso), um monte de pessoas passam por esse incômodo e são sucumbidas a negligência alheia. 


Ensine o seu cão a não latir

É certo que não controlamos os estímulos que existem lá fora, correto? Mas podemos controlar os nossos cães dentro de casa, na maioria das situações. Porém, não em todas.
Cães latem como alerta para barulhos e estímulos do lado de fora do seu território. Tudo bem! Até considero que isto seja interessante. Como moro sozinha, gosto muito da sensação de ser alertada do que ocorre lá fora, e costumo falar aos meus alunos que "os cães são a extensão dos nossos ouvidos, nos alertando sobre o que ocorre lá fora."
Mas, existe uma grande distância, e também diferença, em deixar que o seu cão fique latindo para tudo que acontece: para um inseto que passa, um vizinho que chega, o caminhão do lixo, do gaz e da mudança...
Existe uma linha entre o útil e o insuportável muito tênue. 

E não ultrapassa-la compete a nós, tutores responsáveis, cidadãos educados, bons vizinhos.

Ensine o seu cão a ter bons comportamentos. Tenha quantos cães conseguir:
passear diariamente, educar, dar atenção, manter a casa limpa ...
Se mesmo assim continuar a ter problemas com latidos excessivos é importante procurar um profissional experiente e capacitado com técnicas modernas e positivas de educação canina.
Atenciosamente,

Emmanuelle Moraes
Educadora canina especialista em comportamento e socialização de cães
Membro da The Association For Force Free Pet Professionals
Instrutora do Curso de Formação de Educadores Caninos pela Dante Dog Works, Lindsay, Ontário - CA
Co-fundadora Pet Friendly Floripa

domingo, 26 de julho de 2015

Presente de domingo - GAIA

Abrir o Facebook ( sou das raras pessoas que não vivem conectadas) e dar de cara com o depoimento abaixo, enche a alma de alegria e esperança na humanidade!
A Gaia foi resgatada pela Tina Laus. Eles a adotaram via Fica Cãomigo. Aliás, Helena me ligou para adotar a Hebe, mas a Gaia precisava mais e se mostrou perfeita para eles. Helena e Murilo são adotantes que fazem tudo valer a pena. Eles estão, há 2 meses, como LAR DE APOIO da CORA, ainda para adoção. 
Pegaram 2 bebês para me ajudar, Clara e Cora, mas sobre elas, ainda vou escrever. O post de hoje é para registrar o lindo e emocionante relato da Helena, com meu agradecimento, por tudo! Aaixo o cartaz da Cora, para compartilharem a vontade - as vezes eu esqueço dos meus limites e assumo mais do que posso. Minha sorte são pessoas como vocês, cuja ajuda, sempre bem vinda, torna possível salvar muitas vidas abençoadas! Gratidão por tudo! 

Helena Schuler 








E hoje faz um ano dessa foto! Um ano que essa coisinha preta entrou na nossa casa e na nossa vida! Toda acanhada, com medo. Aos poucos se soltou e hoje é a nossa maior parceira pra tudo! 
Quem me conhece sabe que eu não era muito de cachorro. Não tinha nenhum apego. Mas com a adoção da Gaia, mudei! Ou melhor, posso dizer que ela, definitivamente, mudou minha vida! Me mostrou um amor e uma lealdade que até então eu desconhecia. Às vezes me pego pensando como pode a gente amar taanto uma coisinha assim, que nem 'fala'? Mas tudo que eu preciso saber eu vejo através desses olhinhos de mel, que correspondem todo o amor que eu sinto. A gente acha que é a gente que vai mudar a vida de um cachorro resgatado quando adota ele, mas na verdade eles que mudam nossa vida. A gratidão e o amor que eles nos dão, é maior que tudo! Mas nem só por esse novo tipo de amor que a Gaia me mostrou que eu posso dizer que ela mudou minha vida. Ela também me fez ver uma nova realidade, a qual a gente, muitas vezes, prefere ignorar: a realidade do abandono e dos cachorros de rua.
Por conta dela comecei a entender mais sobre esse assunto e hoje me dói o coração de ver o quão gritante essa realidade é, e muitas pessoas preferem não ver. Por causa dela hoje sou lar temporário, em busca de um lar amoroso para outra cadela abandonada, esperando que ela tenha a mesma sorte que a Gaia teve, de encontrar uma casa com tanto amor como ela tem. E me quebra o coração estar, há meses, buscando uma casa pra uma filhote linda, querida e amorosa - por enquanto sem nenhum resultado, e ver pessoas fazendo fila para pagar valores absurdos por filhotes 'de raça'. Sério mesmo? Qual a diferença que eles tem? A vira-lata linda que tá aqui em casa (e que não 'custa' nada) não vai te dar o mesmo amor que o filhotinho da moda pelo qual você quer pagar mais dinheiro que muita família por aí ganha durante o mês todo? Desabafos à parte, essa pretona linda aí mudou minha vida, alegrou minha casa e me fez conhecer outro tipo de amor, que eu espero que todo mundo possa experimentar em algum momento da vida! Ela também me fez conhecer novas pessoas, com os mesmos ideiais e que, com certeza, fazem o mundo melhor através de suas atitudes (Tina LausFica Cãomigo Annita). Fica minha dica: ADOTE! ADOTE! ADOTE! Além do amor incondicional do cão adotado, você ainda está ajudando uma vida e fazendo algo de bom para o mundo!! LOVE YOU AND THANK YOU GAIA!
— com Murilo Lenhardt.




segunda-feira, 20 de julho de 2015

Feliz dia do amigo!

De raça ou sem raça definida, amigo não se compra, se adota. 
A quantidade de animais precisando de adoção, ou em maus tratos, hoje em dia, já é a mesma. Maus tratos e abandono não escolhem raça.A proporção de animais precisando de bons tutores, está empatando, culpa desse comércio cruel de vidas. NUNCA COMPRE uma vida - VIDAS não são coisas. Se você puder mudar, mude hoje. É por um futuro ,melhor que escrevo aqui  Emoticon heart

Vamos mudar os conceitos! O que é ruim pode e deve ser mudado - 
para sempre!


Amigo não se prende, não se compra e não se come!

Nas fotos, Billy & Bonnie, adotados.




terça-feira, 14 de julho de 2015

Hábitos de higiene dos cães (xixi etc)

É de pequeno que se ensina hábitos de higiene, embora adultos também aprendam (mais rápido).
"Meus bebês"  saem daqui educados. É só manter a disciplina, com carinho e técnica, a disposição no google e You Tube, para quem tiver interesse. Deixar o cão inseguro quanto aos locais de fazer as necessidades,  e com medo de brigas,  só faz com que ele fique temeroso e não resolve o "problema". É mais fácil do que você pensa, mas tem que ter vontade de ensinar e limpar, pois alguns cuidados são importantes. NUNCA dê broncas se não for na HORA que está acontecendo. 
Cães pensam como uma criança de 3 anos. Tenha dó! 
O site TUDO SOBRE CACHORRO ensina, pode clicar AQUI
SHAZAN tem apenas 3 meses.

Os 3 cães que estão no apto, aguardando adoção, aprenderam rapidinho e os que chegam, logo imitam. Mostro como eles são lindos e educados, abaixo. 
Mas claro que acidentes acontecem...
Quem tem nojinho não desça a página, tem cocô.










segunda-feira, 13 de julho de 2015

Ignorância e maldade

Ainda existem pessoas que adotam para deixar o cão acorrentado no fundo do quintal, pode isso? Cuidado com alguns adotantes. Leve na casa, veja ONDE vai ficar o animal e, quando disserem: - " ficará preso durante o dia e solto a noite" interprete PRESO, acorrentado, para viver uma vida miserável de tudo. Todo cuidado é pouco com gente sem noção!



sexta-feira, 10 de julho de 2015

Shazan lindo, puxando amizade...

Sou obrigada a compartilhar esse ferinha tentando fazer com que a Molly ficasse amiguinha dele. As fotos estão na ordem que bati.  Ela já é adulta, não sei quantos anos tem, mas com certeza não teve uma vida fácil. Estava há 1 mês ho$pedada e hoje deve ir para um Lar de Apoio, se tudo der certo. Amanhã levarei o  Shazan para sua nova casa. Ele e o Teddy, disputadíssimo.  Vou sentir muitas saudades desse fofo!





Bem, ele não conseguiu muita coisa, pois ela está
arredia ainda, tadinha. Primeiro dia é assim.
Compartilhem o cartaz da Molly, por favor? Obrigada

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Nova dança das cadeiras - Kate e cia

Por causa da mudança de cidade da família que cuidava da Kate, hoje fui buscá-la no LAR DE APOIO que muito me ajudou, e a outras protetoras, nos últimos 4 anos! Muito cães passaram por lá e foram super bem cuidados. Sou imensamente grata ao casal Gelson & Delci pela dedicação e carinho demonstrado no cuidado dos nossos anjos com asas nas orelhas. 
             



Coloquei a Kate no carro, vim para o apto pegar Shazan e Teddy e lá fui eu para a casa da Adriana Medeiros que se propôs a me ajudar com um deles até amanhã, enquanto me organizo - obrigada!!! As fotos são na casa dela. Eles adoraram correr na grama, especialmente o Shazan, que ainda não conhecia. Sábado eles vão para a casa dos adotantes. Depois passei na Ivone, que está ho$pedando 2 cães para mim. Levei a Kate, trouxe a Molly para o apto e dei um cheirinho no Bóris que foi castrado hoje. Está LINDOOOO! E a Molly, pequeninha, fica no meu apto para facilitar a ida ao veterinário para exames e limpeza de tártaros, que ela precisa.

Assim, com pesar, peguei a KATE, uma lindinha medrosa que até hoje NINGUÉM quis adotar. Nem mesmo um telefonema por ela, mas seu dia vai chegar. Esta demora deve ser porque ela está esperando A família, só pode. Vejam como estão lindos os anjos! Para a Kate seria melhor uma casa só de mulheres pois ela tem pavor de homens - nem quero pensar porquê.